Se você nasceu nos anos 90, com certeza se lembra de um dos filmes mais vistos da história da ‘Sessão da Tarde’, ‘A Lagoa Azul’. Lançado em 1980, o clássico americano contava a história de dois jovens que precisaram se virar sozinhos em uma ilha paradisíaca.

Richard e Emmeline chegam do Pacífico a ilha tropical após um naufrágio. Os dois são proibidos de atravessar a ilha que reserva grandes segredos e faz com que o telespectador fique com um certo medo em algumas cenas.

Sozinhos, eles têm que enfrentar a adolescência como qualquer outro jovem. Tudo isso enquanto enfrentam problemas e precisam criar soluções parta sobreviver na ilha.

Eles constroem casas, pescam e até mesmo se envolvem em um relacionamento amoroso.

Para se ter uma ideia, durante as décadas de 80 e 90, o Filme chegou a ser considerado chocante por causa de suas cenas de nudez exibidas em plena ‘Sessão da Tarde’. Apesar disso, a produção usou algumas táticas para não mostrar os ‘atributos’ físicos dos jovens durante as cenas.

Isso fez com que ‘A lagoa azul’ se transformasse em um verdadeiro clássico assistido por várias pessoas. O que muitos não sabem é que o filme guarda algumas curiosidades bem interessantes, confira algumas delas.

1 – O filme ajudou na descoberta de uma nova espécie

Assim que o filme foi exibido nas telinhas, muitas pessoas puderam se ‘deliciar’ com as cenas paradisíacas gravadas em uma ilha deserta. Porém, um herpetologista estava assistindo o filme quando descobriu uma nova espécie de iguana.

Ela foi catalogada e inserida na lista de iguanas selvagens.

2 – Topless

Apesar de muitos acharem as cenas muito fortes para a época, a produção do filme tomou alguns cuidados com relação aos seios da atriz. Um deles foi faze-la usar uma peruca para esconde-los durante as gravações.

3 – O ator não emplacou nenhum sucesso após o filme

Christopher Atkins não conseguiu nenhum papel de destaque após ‘A Lagoa Azul’. Considerado um verdadeiro galã na época, ele simplesmente desapareceu das telinhas.

4 – O foco do filme foi totalmente desviado

Apesar das pessoas imaginarem que a história na verdade falava sobre um casal que acabava se apaixonando em uma ilha deserta, o objetivo da produção [VIDEO] não era esse. O foco na verdade era contar a historia do povo polinésio e principalmente o choque cultural que o casal tinha com eles, porém, isso acabou não dando certo e as pessoas entenderam o filme de outra forma.