A série "Vikings" está fazendo bastante sucesso atualmente. Exibida pelo canal History, a produção tenta mostrar um pouco o estilo de vida dos antigos nórdicos do passado. O site LiveScience publicou um artigo interessante que mostra mais detalhes sobre os vikings e seu estilo de saquear e conquistar novos territórios.

Os pesquisadores descobriram nada menos do que pólen de cânabis ao lado de um assentamento viking. O fato levanta a hipótese de que eles possam ter utilizado a erva para alimentação, fins medicinais ou até mesmo para fumar.

Como se sabe, esse assunto é bastante debatido atualmente e muitos pedem para que a liberação da substância para fins medicinais seja feita no Brasil.

Sobre a pesquisa, os investigadores ainda encontraram algumas evidências de que os nórdicos ocuparam o antigo assentamento durante mais de um século. O fato surpreende, já que esses guerreiros não costumavam ficar muito tempo em um só local, sempre buscando novas terras para cultivar e saquear.

O assentamento de L’Anse aux Meadows, na costa do Canadá, foi fundado pelos vikings por volta do ano 1.000.

Até então, os arqueólogos acreditavam que eles teriam ficado no local por um breve período de tempo. Porém, a nova investigação que foi publicada na revista Proceedings of the National Academy of Sciences, sugere inclusive uma data. Segundo a publicação, os vikings viveram em L’Anse aux Meadows até os séculos 12 ou 13. .

Novas escavações

Novas escavações foram feitas em 2018 por uma equipe arqueológica em um pântano. O lugar é localizado a cerca de 30 metros do antigo assentamento viking. Lá eles encontraram uma camada de “ecofatos”, que são vestígios ambientais que segundo os pesquisadores podem ter sido trazidos para o lugar por seres humanos, ou seja, não existiam naturalmente naquela região.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Cinema Escola

Os materiais encontrados incluem os restos de insetos (besouros) que não eram nativos da região. Na camada também foi encontrado pólen de Juglans (nozes) e também de Humulus (cânabis). Essas espécies, como foi dito anteriormente, não cresceram nativamente no lugar e foram trazidas de fora.

De acordo com informações do Live Science, os vikings podem ter sido os responsáveis por trazer tais substâncias enquanto navegavam para o sul. Ainda nas pesquisas, os cientistas conseguiram encontrar restos de esterco de rena, madeira e carvão.

Para completar, os arqueólogos ainda realizaram analises Bayesianas que resultaram em dados importantes sugerindo que os vikings podem de fato ter ocupado o local e ainda feito o uso da cânabis durante suas viagens.

Vale deixar claro que, segundo os investigadores, o local não foi ocupado uma vez pelo grupo, mas, ocupado e reocupado pelos nórdicos durante suas viagens. A descoberta levanta a questão se os vikings usavam a substância para confeccionar roupas ou para fins de recreação e medicinais durante sua exploração pela América do Norte.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo