5 celebridades que possuem relações estremecidas com a Globo

Xuxa Meneghel saiu da Globo em 2014. (Reprodução/TV Globo)
Xuxa Meneghel saiu da Globo em 2014. (Reprodução/TV Globo)

Xuxa Meneghel, que iniciou sua carreira na TV Globo em 1986, com o programa 'Xou da Xuxa', tem uma relação conturbada com a emissora.

Não perca as atualizações mais recentes
Clique nos tópicos de interesse e comece a segui-los. Nós vamos sempre te manter atualizado com as principais notícias.
clique para ver o vídeo
Cinco personalidades que não nutrem boa relação com a Rede Globo
1

Xuxa Meneghel

A Rainha dos Baixinhos abalou sua relação com a TV Globo no ano de 2015, quando assinou contrato com a Record TV. Xuxa saiu da Rede Globo em 2014, depois de quase 30 anos de casa.

2

Carolina Ferraz

A famosa atriz processou a Rede Globo, após não ter seu contrato renovado em 2017.

Ver essa foto no Instagram

Esse aí é o Manoel, não é lindo!? 🥰🥰

Uma publicação compartilhada por Carolina Ferraz (@carolinaferraz) em

3

Maitê Proença

Maitê foi demitida pela Rede Globo depois de mais de 30 anos de casa. A atriz revelou que não teve nenhum aviso prévio e ficou sabendo sobre sua demissão pela internet.

Ver essa foto no Instagram

É a primeira pensadora feminista da história. Escritora, filósofa e pioneira no ativismo pelos direitos das mulheres, nasceu em 1759, no interior da Inglaterra. O pai, alcoólatra e violento, perdeu toda a fortuna da família. Mary trabalhou como governanta para contribuir com a renda familiar. Incomodada com as poucas possibilidades intelectuais e profissionais para uma mulher no interior, Mary se muda para Londres. Integra-se ao mundo politizado e passa a articular seus ideais em textos sobre o papel feminino no mercado de trabalho, e sobre a mulher solteira na sociedade. Em 1792, já em Paris, pouco antes da execução de Lous XVI, concluiu que a luta por "direitos iguais" era proposta de homens para homens, desconsiderando mulheres . Escreve "Uma Reivindicação pelos Direitos da Mulher", sua obra mais famosa, no qual critica o machismo de pensadores renomados como Rousseau, denuncia a exclusão das mulheres do acesso aos direitos básicos da época, reivindica o sufrágio feminino (sendo uma das primeiras pessoas na história a fazê-lo), sugere a participação dos homens nos trabalhos domésticos e exige melhorias na educação feminina. Para Mary, a educação seria a salvação das mulheres rumo à independência. Mary Wollstonecraft morreu aos 38 anos de infecção pós-parto, após dar à luz à Mary Shelley, outra #mulherdefibra, tão admirável quanto a mãe. #marywollstonecraft #feminismo #direitosdamulhere #escritora #UmaReivindicaçãopelosDireitosdaMulher #maryshelley

Uma publicação compartilhada por Maitê Proença (@eumaiteproenca) em

Siga a página Famosos
Seguir
Siga a página Televisão
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!