O repórter do jornal O Globo Venê Casagrande foi demitido nesta quarta-feira (8), devido às ofensas feitas nas redes sociais à comentarista do SporTV Ana Thaís Mattos. O jornalista, que era setorista do Flamengo, chegou a pedir desculpas pelo ato, alegando que sua conta no Twitter havia sido invadida por outra pessoa, mas isso não foi suficiente para convencer a cúpula da empresa a mantê-lo no emprego.

Tudo começou no último domingo (5), momentos antes de a bola rolar para o confronto entre São Paulo e Flamengo, no estádio do Morumbi, pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro, quando Ana Thaís retuitou uma imagem que mostrava o árbitro Ricardo Marques Ribeiro fazendo o que seria uma oração em frente à cabine do VAR e escreveu: “que coisa mais patética”.

Depois disso, ela recebeu uma resposta agressiva da conta de Venê contendo algumas palavras de baixo calão. “Vive pagando de politicamente correta e agora quer criticar a crença alheia?”, foi um dos trechos da mensagem.

Repórter alega que sua conta foi invadida

Nesta quarta-feira (8), Venê voltou às redes sociais para tentar explicar o ocorrido e pedir desculpas pelas ofensas que, segundo o próprio, não partiram dele. No texto, ele disse que deve “um pedido de desculpas e uma explicação à comentarista” e negou ter sido ele o autor das mensagens ofensivas. Porém, admitiu que cometeu um erro que merece ser esclarecido para os seguidores da jornalista.

O repórter disse ainda que, ao receber os prints, de início pensou que se tratasse de uma montagem.

Depois, informou que teve a conta invadida. Segundo ele, uma pessoa que tinha acesso à sua conta o procurou para dizer que havia se enganado de conta, postando as ofensas pelo Twitter do repórter, ao invés de usar sua própria conta.

Venê afirmou ter condenado a atitude da pessoa que postou as ofensas e admitiu ter sido negligente ao deixá-la ter acesso à sua conta.

Ele falou que tomou as providências cabíveis, como a troca de senha, e ainda publicou outras mensagens ratificando seu pedido de desculpas.

Demissão

As explicações e os pedidos de desculpas não convenceram os diretores do Grupo Globo que, na noite de terça-feira (7), determinaram que o repórter fosse desligado de suas funções.

Venê chegou a ser respaldado por seus chefes diretos na editoria de esporte, porém eles tiveram que cumprir ordens superiores e demitiram o repórter nesta quarta-feira (8). A assessoria de imprensa do veículo de comunicação confirmou que a demissão do repórter ocorreu em razão do acontecido.

Desde sua demissão, o jornalista não se manifestou mais no Twitter. Suas últimas postagens são de terça-feira (7), quando ele explicou o que aconteceu e pediu desculpas.

Siga a página Futebol
Seguir
Siga a página Televisão
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!