O meio-campista turco Arda Turan, com passagem recente pelo Barcelona e atualmente jogador do Basaksehir, de Istambul, foi condenado a dois anos e oito meses de prisão por lesão dolosa, porte ilegal de arma e disparo de arma de fogo. O jogador também era acusado de assédio sexual, crime do qual foi absolvido.

Contudo, de acordo com o tribunal turco que emitiu a sentença, o meio-campista não será preso, a menos que cometa algum delito (não especificado se leve ou grave) nos próximos cinco anos.

Motivo do julgamento

O meio-campista do Basaksehir acabou se envolvendo em uma briga com o cantor Berkay Sahin, também turco, em uma boate em Istambul, no fim do ano de 2018. O jogador deixou ferimentos no cantor, como o nariz quebrado. Em seguida, Turan ainda chegaria ao hospital onde Berkay foi internado portando uma arma, disparando-a na direção do chão, o que causou pânico entre os funcionários do hospital e a equipe médica.

Segundo a agência Reuters, o Basaksehir chegou a multar o jogador no valor de 2,5 milhões de libras turcas, o que equivalente a R$ 1,7 milhões, em função do ocorrido no ano passado, classificado pela instituição como atitudes incompatíveis com a ética do clube dentro e fora de campo. A multa é recorde no país.

A premissa da briga

O caso ocorreu em outubro do ano passado, quando o ex-jogador do Barcelona se aproximou da esposa do cantor Berky, Özlem Ada Sahin, de modo invasivo, caracterizando como um ato de assédio.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Futebol PaixãoPorFutebol

Tudo ocorreu em uma boate no centro de Istambul.

Após uma breve discussão, Turan teria acertado um soco em cheio no nariz do cantor. A esposa de Berkay o acompanhou até um hospital próximo. Como relatado anteriormente, o jogador seguiu o casal até o hospital, para, segundo ele, desculpar-se por sua atitude para com Sahin.

Ainda de acordo com relatos, o jogador teria, inclusive, oferecido a pistola ao cantor e autorizado que o artista atirasse nele.

"Atire em mim se quiser", afirmou o jogador. O cantor teria pegado a arma da mão do jogador, mas imediatamente depois de conversarem, Turan pegou novamente o revólver e então disparou contra o chão, o que causou um grande tumulto no centro hospitalar que atendia o cantor. Ninguém ficou feriado após os tiros.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo