O piloto português Paulo Gonçalves, de 40 anos, é a primeira vítima falta do Rally Dakar de 2020. Neste ano a competição está sendo realizada na Arábia Saudita e o acidente fatal ocorreu na manhã deste domingo (12), no quilômetro 263, no trecho compreendido entre Riyadh e Wadi Al-Dawasir, válido pela sétima etapa da competição. Ele competia nas motos.

A organização do Rally não detalhou as circunstâncias que levaram o motociclista português à morte. Em um comunicado, foi informado que por volta das 10h08 (4h08 no horário de Brasília) foi recebido um alerta de socorro e um helicóptero médico chegou oito minutos depois ao local onde a vítima se encontrava.

O piloto estava caído inconsciente e os socorristas ainda tentaram fazer uma reanimação, mas sem sucesso. Paulo foi levado de helicóptero até um hospital em Layla, na região de Riad, onde foi constatado seu falecimento. O primeiro a prestar socorro ao competidor foi o australiano Toby Price, da KTM, que vinha fazendo o melhor tempo da etapa cronometrada.

Esta era a 13ª vez que o piloto português participava de uma edição do Rally Dakar. Sua melhor colocação foi em 2015, quando foi vice-campeão, ficando apenas atrás do espanhol Marc Coma.

Nesta edição, ao final de seis etapas, ele ocupava a 46ª posição na classificação geral.

Dentre seus títulos está o mundial de Rally Cross Country e do Rally dos Sertões, ambos em 2013.

Primeira morte em cinco anos

A morte de Paulo Gonçalves foi a primeira no Rally Dakar nos últimos cinco anos. A vítima fatal anterior havia sido o polonês Michal Hernik, também motociclista que morreu de desidratação.

A fatalidade gerou grande comoção no acampamento do Dakar, uma vez que se tratava de uma pessoa bastante carismática e tinha facilidade em fazer amizades por onde passava.

Em Portugal as emissoras de televisão interromperam sua programação logo pela manhã para noticiarem a morte do esportista e o presidente do país, Marcelo Rebelo de Souza, emitiu uma nota oficial lamentando a morte do piloto e prestando condolência aos familiares.

O presidente disse que Paulo “sempre foi um digníssimo representante de Portugal”.

Amigos destacam suas qualidades

Pilotos portugueses manifestaram condolências após saberem da notícia da morte de Paulo Gonçalves, ocorrida neste domingo (12), pela sétima etapa do Rally Dakar, na Arábia Saudita.

Competidor na Moto GO, Miguel Oliveira destacou que Gonçalves era exemplar. “A tua coragem e valentia são exemplo para todos nós.

Descansa em paz”, escreveu em uma rede social.

Já o ex-piloto de Fórmula 1, Tiago Monteiro, classificou o motociclista como sendo “um guerreiro” e uma “pessoa incrível”. O mesmo adjetivo foi usado por António Félix da Costa, que corre na Fórmula E. “Um dos maiores guerreiros do nosso desporto”, postou.

Não perca a nossa página no Facebook!