A pandemia do novo coronavírus afetou em demasia os clubes de todo o mundo. No futebol brasileiro, diferentemente de outros países, não há uma data prevista para que o esporte volte a ser praticado. Com poucos clubes retornando gradativamente suas atividades, o calendário segue em pausa, e discussões nos bastidores ainda não definiram para qual mês a prática seria segura para todos os envolvidos.

A realidade, porém, foi dura com os clubes brasileiros. Redução de folha salarial, demissões, acordos e reajustes. Enfim, muito se fez necessário para realizar durante a pandemia para que o problema fosse contornado, e, assim, a saúde financeira dos clubes se mantivesse estabilizada.

Um dos clubes que mais sofreu com a pandemia, apesar de ter contas em dia, foi o Flamengo. Com uma folha salarial recheada, o Rubro-Negro chegou a dispensar funcionários entre o final do mês de abril e início do mês de maio.

Agora, visando enxugar ainda mais a folha de pagamentos de atletas vinculados ao Futebol, o Flamengo planeja ceder alguns atletas da categoria de base, ou até mesmo jovens que integram o profissional, para clubes do futebol brasileiro e também no estrangeiro.

O primeiro deles foi Rafael Santos, emprestado ao APOEL, do Chipre, que teve seu contrato estendido pelo Rubro-Negro enquanto defende a equipe da Europa.

Empréstimo de jovens no Flamengo

O Globoesporte.com apurou que, para evitar perder seus principais nomes, o Flamengo tem a estratégia de emprestar alguns jogadores tidos como promessas dentro do Ninho do Urubu.

São os casos de Dantas, Pepê, Hugo Moura, Vinícius Souza e Lucas Silva. O Rubro-Negro, inclusive, alertou que não dificultará a liberação dos atletas.

Em uma época de redução de gastos mensais, o Flamengo vê a solução como ideal, tanto para dar rodagem aos atletas, como também aliviar a folha salarial mensal que gira em torno dos R$ 25 milhões, com jogadores como Gabigol, Bruno Henrique e Arrascaeta que ultrapassam a casa do milhão nos seus vencimentos mensais.

Nomes experientes também podem deixar o Flamengo

Também apurado pelo site do Globoesporte.com, alguns nomes considerados de peso podem deixar o Flamengo após o fim da pandemia, e servir como moeda de troca ou até mesmo empréstimo sem custos para outras equipes do futebol nacional.

São os casos de Píris da Motta e Berrío.

A dupla estrangeira não goza de privilégios dentro do elenco, e disputam posição com nomes considerados intocáveis dentro dos onze ideais de Jorge Jesus.

Entretanto, em razão das altas cifras que envolvem os possíveis negócios, a dificuldade se torna muito maior para alocá-los, sobretudo no mercado interno.

Siga a página Futebol
Seguir
Siga a página Flamengo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!