A tarde de quinta-feira (15) foi bastante agitada entre os torcedores do Grêmio. A derrota que eliminou o Tricolor da Libertadores de 2021 foi bastante sentida internamente e foi a gota d'água para a permanência de Renato Portaluppi, que se tornou insustentável.

O treinador, que já estava há cinco anos no cargo, vinha de um desgaste após recentes eliminações e problemas no projeto seguido pelo Grêmio. Se antes Renato e Romildo Bolzan estavam em plena sintonia, nos últimos anos não foi bem assim. O Grêmio viu a necessidade de mudar e precisou intervir pensando em seu projeto sustentável com as categorias de base.

Problema começou após derrota com Flamengo

O desgaste entre Renato Portaluppi e o Grêmio se deu após o acachapante 5 a 0 do Flamengo sobre o Tricolor, em 2019, comentou o jornalista César Cidade Dias em seu canal no YouTube.

Na oportunidade, segundo o comunicador, as coletivas, as justificativas e a respostas "condenavam" Renato. A partir dali, a relação deixou de ser a mesma. Antes unânime internamente, Renato passou a ter pessoas que já queriam sua saída ao fim da temporada de 2019.

Contudo, com o contrato renovado, reforços à vista e nomes que foram pedidos eram atendidos. André, Diego Tardelli e Thiago Neves foram alguns dos jogadores pedidos por Renato que acabaram custando uma fortuna aos cofres do clube e não deram o retorno necessário ao Grêmio dentro de campo.

A relação, que já vinha desgastada, teve uma ruptura, principalmente com a falta de aposta nas categorias de base e a preferência por jogadores mais experientes e que não entregavam resultados. Coube ao Grêmio mais uma chance. A última. Em 2021, com um projeto já esquematizado, o Tricolor precisaria apenas chegar à fase de grupos para ir ao mercado e fechar contratações de alto nível, tal como foi prometido por Romildo Bolzan.

O projeto do Grêmio já não casava

Ainda de acordo com Cidade Dias, o projeto que o Grêmio almejava já não casava mais com os objetivos de Renato. O uso das categorias de base era essencial e, mesmo após a temporada de 2020, jovens destaques eram preteridos em relação a jogadores mais experientes. Exemplos não faltaram e a gota d'água chegou com a eliminação.

O discurso já não casava. Afinal, o Grêmio havia garantido que jovens jogadores seriam mais utilizados, mas logo nos primeiros jogos, David Braz iniciou como titular, enquanto Everton Cardoso era a preferência em relação a Léo Pereira. A inconsistência acabou desgastando ainda mais uma relação que já balançava desde o final de 2019.

Mudanças internas no Grêmio

O jornalista Jeremias Werneck trouxe informações importantes que passam por mudanças estruturais dentro do Grêmio. A saída de Renato e de sua comissão técnica não será única. De acordo com o comunicador em seu canal no YouTube, o Grêmio deve contratar um vice de Futebol. Desde a final da Copa do Brasil o Grêmio não tem alguém na vaga e planeja contratar alguém para preenchê-la.

Além de um vice de futebol, o Grêmio também terá um diretor político de futebol. Uma mudança completa na estrutura do clube, que passar a preencher vagas para fortalecer o comando do futebol internamente no Grêmio.

Siga a página Futebol
Seguir
Siga a página Grêmio
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!