Está circulando em parte da imprensa brasileira e da imprensa norte-americana a informação de que o presidente norte-americano Donald Trump teria chamado os imigrantes ilegais de “animais”.

A notícia circulou como verdade absoluta por praticamente toda a imprensa e não foi checada pelos grupos que realizam o chamado “fact-checking” com notícias que são divulgadas nas redes sociais.

O que Donald Trump disse?

Na última quarta-feira (16), Donald Trump participou de uma mesa redonda. O presidente se pronunciou durante debate sobre cidades da Califórnia que se negam a cooperar com o serviço central de controle imigratório, chamado ICE. [VIDEO]

Ao se refir a gangue MS-13, Trump afirmou que estão expulsando essas pessoas do país.

“Não se pode acreditar quão más essas pessoas são”, comentou o presidente. “Não são pessoas, são animais”.

No Twitter, Donald Trump afirmou que foi vítima de fake news e que não chamou os imigrantes ilegais de "animais". "Eu me referi aos membros da gangue MS-13 [VIDEO]", afirmou o comandante norte-americano.

Na quarta, o presidente afirmou que a lei da Califórnia dá refúgio “a alguns dos criminosos mais cruéis e violentos do mundo”, ao se referir aos membros da MS-13.

Oposição se manifestou sobre declarações de Trump

Na era do fake news, a política é a área mais prejudicada pelas informações falsas e o motivo é simples. Quando se divulga uma informação falsa sobre determinado artista, por exemplo, nenhum outro artista tem o interesse em reproduzir esse conteúdo.

Na política, a história é diferente.

A oposição tem prazer em manchar a imagem dos opositores e o compartilhamento de notícias falsas é uma arma bastante utilizada para jogar a opinião pública contra um político adversário.

Além disso, muitas vezes os próprios opositores é quem iniciam as fake news. Após as declarações de Donald Trump, um representante democrata do estado do Colorado, Jared Polis, afirmou que os imigrantes são seres humanos e não animais nem criminosos.

Jerry Brown, governador da Califórnia, também criticou Trump e o chamou de mentiroso. Em outubro, o governador sancionou lei que tornou a Califórnia um “estado santuário” e afrontou o presidente dos Estados Unidos, que quer deter a imigração ilegal.

O estado é o mais povoado do país e a estimativa é que vivam por lá cerca de um quarto dos 11 milhões de imigrantes ilegais que moram nos Estados Unidos. A maioria é de origem latino-americana.