O francês Alain Cocq, de 57 anos, que sofre de uma rara doença incurável, decidiu abandonar seus tratamentos médicos e usar o Facebook para transmitir ao vivo seus últimos momentos de vida a partir deste sábado (5). Alain tomou tal decisão depois que Emmanuel Macron, presidente da França, negou seu pedido para que passasse pelo procedimento de eutanásia, que consiste em fazer com que o paciente morra sem sofrimento.

Alain Cocq está paralisado há cera de 34 anos por causa das dores causadas pela doença que, por ser tão rara, ainda não tem nome. A enfermidade do francês faz com que as paredes de suas artérias se colem, o que acaba resultando em uma “isquemia”, ou seja, a insuficiência ou até a parada da circulação de sangue em um órgão ou tecido.

Segundo relato de Alain à AFP, ele só consegue ingerir alimentos por meio de um tubo e precisa passar por descargas elétricas a cada dois ou três segundos. Além disso, o francês também afirma que seus intestinos e bexiga se “esvaziam em uma bolsa” e que ele não tem mais “uma vida decente”.

Francês decide interromper tratamento

Ainda de acordo com Cocq, a partir da última sexta-feira (4), “na hora de dormir”, ele irá parar de se alimentar, se tratar e até de se hidratar. E mais, ele também prometeu que irá usar o Facebook para transmitir seus últimos momentos de vida na intenção de mostrar aos moradores do país “qual é a agonia imposta pela lei”. Após interromper o tratamento, a estimativa é que Alain Cocq viva cerca de quatro a cinco dias.

Alain ainda disse à AFP esperar que sua luta faça com que no futuro seja adotada na França uma legislação que permita mais cuidados no fim da vida, para assim evitar o que ele chama de “sofrimento desumano”.

Facebook bloqueia conta de Alain

De acordo com informações divulgadas pelo site Tilt, neste sábado (5) o Facebook bloqueou a conta de Alain Cocq no intuito de impedir que o francês transmita seus últimos momentos ao vivo na internet.

Para o portal, um porta-voz da rede social afirmou que, ainda que eles respeitem a decisão tomada por Alain de “chamar a atenção para esta questão complexa”, eles se basearam em conselhos de especialistas ao tomarem medidas para impedir a transmissão ao vivo no perfil de Cocq, isso ressaltando as regras da plataforma, que não permitem publicações envolvendo “tentativas de suicídio”.

Francês faz pedido a apoiadores

Depois de ter seu perfil bloqueado, Alain Cocq fez um pedido a seus apoiadores, isso postando ao mesmo tempo o endereço do Facebook França, que fica localizado em Paris. “É a vez de vocês”, afirmou o francês. Alain afirma que é a vez de seus apoiadores mostrarem “o que pensam desses métodos de entrave à liberdade de expressão”. E mais, ele ainda revelou que “dentro de 24 horas” será divulgado um “sistema de réplica” onde será divulgado o vídeo.

Siga a página Saúde
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!