Em cumprimento a dois mandados de prisão temporária, a Polícia Civil prendeu neste domingo (10) dois irmãos gêmeos por suspeita de estupro de vulnerável em Balneário Mariluz, na região de Imbé, no llitoral do Rio Grande do Sul.

De acordo com o delegado responsável pelo caso, Antônio Carlos Ractz, após realizar diversas investigações contra os suspeitos, de 37 anos, a polícia chegou à conclusão de que eles podem ser os responsáveis por cometerem o estupro de uma menina de apenas 13 anos de idade entre os períodos de dezembro do ano passado até o mês de fevereiro deste ano.

Publicidade
Publicidade

Ainda de acordo com o delegado titular da delegacia de Imbé, qualquer ato libidinoso contra uma criança menor de 14 anos de idade é considerado crime hediondo e classificado como estupro de vulnerável, cuja pena no Código Penal brasileiro chega até 15 anos de prisão. Ainda menciona o delegado que, mesmo que a vítima conceda o ato, o crime é previsto da mesma forma e as circunstâncias da pena não se alteram.

Os policias mencionam que a prisão dos homens foi realizada neste domingo, pois os dois são veranistas de Imbé.

Quando os agentes chegaram até residência onde os dois estavam, familiares dos mesmos não quiseram deixar a polícia entrar na casa, o que configurou os crimes de desobediência, resistência e desacato. Os envolvidos irão responder pelos crimes, considerados de menor potencial ofensivo.

Participaram da ação dois agentes da delegacia de Imbé e um da DP de Tramandaí. No local os agentes apreenderam três aparelhos celulares que serão periciados pela Justiça.

Publicidade

Prisão temporária

Ainda segundo os agentes policias, a denúncia chegou ao conhecimento deles na última quinta-feira (7). Diante da situação, os agentes representaram uma medida cautelar em favor da vítima, e no dia seguinte já começaram a reunir as provas cabíveis para pedirem o mandado contra os suspeitos, o que ocorreu neste sábado. Com o cumprimento do mandado de prisão temporária realizado pela polícia, os suspeitos ficarão detidos por um prazo de 30 dias, prorrogável por mais 30 dias.

Os detidos foram encaminhados para a Penitenciária Modulada Estadual da região de Osório.

Leia tudo