A "Lei de Cotas", que define uma quantidade mínima de vagas destinadas aos candidatos negros e, dependendo do tipo de prova, deficientes e de renda baixa, etc., é uma das maiores discussões que divide a sociedade brasileira nos últimos anos. De um lado, encontramos os conservadores, afirmando que as cotas são, na verdade, um jeito de criar uma divisão entre negros e brancos e continuar a disseminação do Preconceito racial; já de outro, temos os amplamente libertinos, que defendem que a política de vagas reservadas é uma redistribuição de renda no país.

Pensando nisso, resolvemos elencar algumas das principais motivações da Lei de Cotas e os benefícios que a aprovação tardia trouxe para seu público.

Confira.

Motivos

O principal motivo da cota não é a diminuição do preconceito racial como muitos imaginam, mas, sim, a elevação da igualdade social no país. Historicamente, os negros têm menos acesso aos valores culturais, informativos e educativos de nossa sociedade, por possuírem menos recursos, fato herdado da libertação dos escravos e da consequente escravização com pagamento que veio a ocorrer após.

Em visto desta desigualdade que há entre pessoas de cores diferentes devido ao fato histórico, a Lei de Cotas visa cumprir uma ideologia de criar maior possibilidade de ascensão dos menos favorecidos ao cargo. Assim, cidadãos que possuem por conta própria e condição de vida menor possibilidade de acesso à informação serão recompensados com uma avaliação diferente dos outros porque todos somos "iguais perante a lei", mas não "nela".

Os melhores vídeos do dia

Em linhas gerais, as cotas não são apenas raciais, embora o tópico aqui seja este. Podem ser grupos étnicos, de classes sociais, pessoas com deficiência, mulheres, idosos e afins. Cada um formado por um motivo distinto e uma razão social agravada pela história.

É realmente importante lembrar que o conceito de raça [VIDEO]utilizado nas ações afirmativas (AA), chamadas de cotas, não é o superado conceito biológico (que muitos afirmam ser), mas sim o de construção social (tornam as pessoas mais iguais).

Benefícios

Com a política de cotas, um dos grandes benefícios é o acesso ao público menos favorecido ao retorno econômico e financeiro maior do que outras possibilidades dariam. Esta é a premissa básica. Contudo, além disso, o conceito de atenção social também entra no processo criativo: com mais negros em locais onde não se via, maior será a visibilidade e, por consequência, menor o preconceito advindo de outras classes.

Muitos são os benefícios além dos dois citados, mas estes são os primordiais à Lei de Cotas.