No último domingo (1°), Flamengo venceu o Palmeiras por 3 a 0. Levando-se em consideração o cenário antes do jogo --mesmo que o Palmeiras tenha sido eliminado e o Flamengo se classificado na Libertadores--, todas as conjecturas apontavam para um certo grau de equilíbrio, afinal, tratavam-se de dois clubes que, nos últimos 3 anos, vêm dominando os holofotes do futebol brasileiro: pela condição financeira dos dois times; pelo elenco que tal condição permitiu e, principalmente, pela conquista do Palmeiras em 2018 e pela boa campanha pré-Copa América.

Sobre o jogo

Mas, na verdade, o que foi demonstrado em campo, sob todos os aspectos futebolísticos imagináveis, foi uma superioridade do Clube de Regatas do Flamengo. Quando se analisam os aspectos estatísticos, a superioridade fica ainda mais explícita. O Flamengo teve 65% de posse de bola, finalizou 12 vezes, e o Palmeiras, apenas 2 (com 0 chutes no alvo). Taticamente, o Palmeiras inicia o jogo com uma marcação alta, na tentativa de bloquear ataques característicos do sistema tático de Jorge Jesus: oriundo das laterais, extraindo ao máximo a velocidade/habilidade de Rafinha pela direita e Filipe Luis pela esquerda.

E o Palmeiras até teve certo êxito neste quesito. No entanto, aos 10 minutos, Gabigol fez um golaço de cavadinha e o jogo começou a ficar difícil para o Palmeiras a partir deste momento, que permaneceu apático e não conseguia impedir o volume de jogo do Flamengo.

O segundo gol do Flamengo surge de uma jogada de alta velocidade do Bruno Henrique, que escapa pela direita e faz um cruzamento --Zico chamaria isso de passe-- espetacular na cabeça do Arrascaeta (8 gols em 13 jogos), que não teve dificuldade de converter.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Palmeiras Flamengo

Mesmo dominando completamente o jogo, o segundo tempo do Flamengo foi claramente administrativo, pois, não impôs o ritmo do primeiro tempo e acabou fazendo o terceiro gol num pênalti, que para muitos, foi duvidoso.

A queda do rendimento do Palmeiras

Depois da Copa América, as coisas não estão dando muito certo para o Palmeiras. Recentemente eliminado da Copa do Brasil e também da Libertadores pelo Grêmio, pós-Copa América o Verdão tem apresentado uma queda inacreditável de rendimento.

Dos 13 jogos disputados, são apenas 3 vitórias, com 6 empates e 4 derrotas. Sobre o aproveitamento recente do Palmeiras, Felipão falou sobre o desempenho do time em uma entrevista após o jogo. “[...] Os resultados não estão acontecendo. Temos que revisar algumas coisas, mas precisamos que os atletas entendam que temos que mudar algumas peças e situações táticas para atingir o objetivo, que é brigar pelo título", disse Felipão.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo