A estreia do “BBB20” era aguardada com muita ansiedade pelo público, mas havia dado uma impressão logo quando começaram as primeiras campanhas e divulgações desta edição, que a produção divulgou como sendo histórica.

Ao longo de toda as semanas de divulgação foi informado que o programa passaria por uma grande mudança em seu formato, e que essa mudança seria radical em comparação com as edições que já foram ao ar. No entanto, as mudanças que foram apresentadas agora que o programa estreou, parecem não ter mudado nada de fato no programa.

Mudanças rasas no 'BBB20'

A grande questão para que o programa esteja no ar há tanto tempo é o fato de que ele é o mesmo desde que estreou na Rede Globo, e também pelo fato de ter poucas regras, o que faz com que ele se torne mais compreensível para o público sem muitos problemas.

A regra a respeito do programa é clara: os participantes que lá são colocados lutam para conseguir convencer o público, cada um a sua forma, de que eles merecem permanecer no programa o maior tempo possível para poderem vencer.

No entanto, ao longo dos anos, a Globo vem testando algumas mudanças, como nos perfis dos participantes que são colocados. Com isso, eles buscam dar uma aparência diferente para o programa, que de fato não muda muito ao longo dos anos. Ao longo dos anos, o programa investiu muito em colocar um padrão de participantes, como mulheres loiras e bonitas e homens atléticos e fortes, além de majoritariamente jovens.

Além disso, também em alguns momentos o programa procurou buscar algumas pessoas pra preencher as vagas, como negros, gays, obesos, idosos e transsexuais.

Entre estas várias experiências que foram feitas pela produção, a que aconteceu no ano passado foi a mais frustrante para o público. Isso porque, no ano passado, logo no começo do governo do presidente Jair Bolsonaro foram colocados dentro do programa dois grupos bem diferentes de pessoas, os que eram mais engajados e os festeiros, que faziam oposição ao pensamento um do outro.

O resultado desse experimento acabou sendo uma das piores audiências do programa ao longo dos anos em que ele está no ar.

Agora, novamente, a produção optou por colocar no ar uma edição que será divida em grupos. O primeiro grupo que foi chamado de Pipoca pela produção é formado pelos anônimos que se inscreveram para o programa.

O segundo grupo é formado pelos chamados Camarote, que são os conhecidos do público que foram convidados para entrarem no confinamento. Estes famosos, no entanto, são algo inédito para o programa brasileiro, mas que já aconteceu por outras vezes em edições do programa no exterior.

O programa foi anunciado como sendo histórico para este ano, e, por isso, a produção tem anunciado que vai revolucionar nesta edição, com novidades que nunca foram vistas antes pelos telespectadores.

Se os participantes mostrarem mais comprometimento com o programa, como é pedido pelo apresentador Tiago Leifert, talvez o futuro do "BBB20" seja melhor que o do ano passado. Por enquanto, resta desejar que essa edição seja mais divertida e alto astral do que a do ano passado, e que esse já será um lucro para o telespectador.

Siga a página Televisão
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!