Ao que tudo indica, Deborah Secco, Vitória Strada e Juliana Paiva vão ter que começar “Salva-se Quem Puder” cheias de humor. Isso porque a novela de Daniel Ortiz promete momentos humorísticos que são característica do autor.

Segundo o próprio, ele fará com que suas protagonistas acabem entrando em situações até mesmo surreais, que farão com que o público tenha que embarcar nas loucuras propostas por ele, e aproveite toda a aventura que a novela vai trazer, que, pelo visto, não será pouca.

As protagonistas, logo de cara, na trama acabaram sendo testemunhas de um crime após sobreviverem a um furacão, e, com isso, terão que abrir mão de suas vidas como elas eram, para poder escapar da morte.

Neste momento, elas serão inseridas em um contexto totalmente novo, de um universo caipira.

Três protagonistas e o triplo de agito

Logo no primeiro capítulo Alexia (Deborah Secco), Kyra (Vitória Strada) e a camareira Luna (Juliana Paiva) acabam se conhecendo em Cancún. Entretanto, para causar mais agito na trama, logo neste momento elas vão acabar tendo que enfrentar um furacão que acontece no local, e, em meio a isso, terão que se abrigar fugindo do fenômeno natural, e vão acabar presenciando o momento em que os assassinos de Vitório (Ailton Graça) cometerão o crime. Elas terão também que fugir dos assassinos após presenciar o momento da morte do juiz, por terem se tornado testemunhas do crime.

Este primeiro momento da trama, trouxe as personagens em um estilo bastante semelhante aos filmes de “As Panteras”, visto que o momento todo foi marcado por cenas com perseguição, acidentes e também muitas confusões, que são essenciais para poder divertir o telespectador que já está acostumado com o tipo de humor usado nas Novelas de Daniel Ortiz.

O autor, inclusive, pediu para que o diretor artístico da novela, Fred Mayrink, fizesse com que as cenas tivessem um tom de thriller de suspense neste primeiro momento em que houveram muitas cenas de aventura.

A ideia de começar a novela em Cancún, em meio a um furacão, partiu de uma experiência pessoal do autor da trama. Daniel morou no México por sete anos, e, à época, estava morando no local, presenciando muitos furacões e isso acabou sendo motivo suficiente para que autor tivesse mais interesse a respeito desse fenômeno natural.

Os atores da trama envolvidos no momento do furacão em Cancún, passaram uma semana gravando no local e depois passaram muito mais tempo gravando na piscina de um parque do Rio de Janeiro para conseguir os momentos do furacão em si.

A atriz Juliana Paiva contou recentemente que sua personagem foi a que ficou mais no olho do furacão, e que isso, inclusive, foi algo muito importante para ela, pois ajudou-a a construir toda a força de sua personagem.

Siga a página Novelas
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!