Ainda é cedo para falar, porém ao que parece, aqueles que acreditavam que a atriz Regina Duarte pudesse ser a voz da sensatez dentro do Governo Bolsonaro na área cultural, vão ter uma decepção. Em mais uma mostra que Regina Duarte realmente tem um pensamento alinhado ao atual governo, a atriz compartilhou no último domingo (26) um vídeo em que se posicionava contra o conceito amplamente divulgado por apoiadores de Jair Bolsonaro (sem partido) e também do guru intelectual do governo, o astrólogo Olavo de Carvalho, o “marxismo cultural”.

O vídeo mostra Adrilles Jorge, ex-BBB se expressando contra o que ele afirmou ser um movimento da esquerda para ganhar espaço na indústria cultural. Ele afirmava no vídeo que o famigerado marxismo cultural coloca mulheres contra homens, negros contra brancos, héteros contra homossexuais.

Quem é esse cara?

Esta foi a pergunta que Regina fez em seu comentário postado junto com o vídeo de Adrilles, a atriz gostou do que viu: "Que depoimento bacana, profundo, super real", encantou-se Regina. O vídeo foi assistido por quase 200 mil perfis no Instagram.

O que talvez a artista de direita não saiba é que o vídeo que ela compartilhou está editado e não mostra que no mesmo programa da rádio Jovem Pan, o "Morning Show", em que Adrilles fez seu discurso, Guga Noblat, que estava no programa também, contestou Adrilles e afirmou que o termo marxismo cultural é uma criação de uma teoria conspiratória sem nenhuma credibilidade.

Adrilles prosseguiu argumentando que é somente isto que existe no mundo atualmente, pessoas se fazendo de vítimas para”massacrar as outras”, alegou o ex-BBB.

Ele prosseguiu insistindo em sua teoria de que isto é sim marxismo cultural que é divulgado pelo cinema, teatro e literatura, que estas áreas estão povoadas pelo que ele chamou de “esquerdistas fanáticos”, e ainda assegurou que isto se trata de uma guerra santa.

"Corra Regina, Corra"

Guga Noblat não se intimidou e continuou no debate. Ele aconselhou Regina Duarte a correr enquanto dá tempo, disse para ela não pegar o que ele chamou de “bomba”, no que ele afirmou que é a área do governo com a maior carga ideológica atualmente.

Sobrou para o rock

Não contente em defender a existência de um marxismo cultural, o ex-BBB então decidiu atacar o gênero musical criado nos Estados Unidos. Jorge defendeu a proibição do rock feita em um edital da Funarte (Fundação Nacional de Arte), sendo que esta proibição nunca aconteceu. Adrilles também defendeu o edital público lançado por Roberto Alvim, que era o comandante da pasta da Cultura. Alvim foi exonerado por ter feito referências ao regime liderado por Adolf Hitler em um vídeo oficial do governo.

Longo noivado

Tanto a atriz quanto o chefe do Executivo usam metáforas quando se referem à ida de Regina Duarte para o comando da Secretaria de Cultura.

Ainda não se sabe quando finalmente será o “casamento”. A atriz esteve em Brasília na última semana para dar prosseguimento ao ‘noivado’ com o governo do presidente Bolsonaro, e ainda não deu uma resposta definitiva se irá se participar do governo.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!