Flamengo e Fluminense decidem a final do Campeonato Carioca 2020 nesta quarta-feira (15). A disputa tem o Flamengo com a vantagem de um empate simples. Qualquer igualdade nos placares dá a taça ao Rubro-Negro, que comandou a competição do seu início ao fim, apesar de alguns percalços.

Entre eles, as últimas duas partidas contra o grande rival, o Fluminense. Mesmo com um empate e uma vitória, o Flamengo se mostrou pouco efetivo e esteve longe do Rubro-Negro avassalador conhecido por encantar com o Futebol ofensivo, rápido e de transição em velocidade da defesa para o ataque.

Flamengo abaixo do esperado

O Flamengo criou outro patamar de avaliação do seu futebol. O padrão Flamengo tem como base o segundo turno do Campeonato Brasileiro de 2020, os 5 a 0 contra o Grêmio na semifinal da Libertadores de 2020 e a final do Mundial de Clubes do ano passado, quando perdeu na prorrogação por apenas 1 a 0 para o todo poderoso Liverpool.

Nos confrontos diante do Fluminense, sobretudo na final da Taça Rio, Odair Hellmann neutralizou as ações ofensivas do Flamengo, adiantou as linhas do meio-campo, pressionou Gerson e anulou as possibilidades de Bruno Henrique infiltrar na defesa tricolor.

Apesar de todas as dificuldades causadas pelo Flu nos dois últimos confrontos, o Flamengo viu nas suas individualidades uma forma de desafogar a pressão exercida pelo Tricolor, que foi constante durante boa parte do jogo.

Mudanças necessárias para a final do Carioca

Uma das explicações que justificam o baixo desempenho do Flamengo diante do Fluminense foi a rodagem do elenco. Com algumas substituições, o Rubro-Negro acabou sofrendo com o entrosamento da equipe e caiu de forma singela de produção.

Para os próximos jogos, Jorge Jesus deve apostar na formação original clássica do Flamengo, apenas com Pedro no lugar do suspenso Gabigol, que levou um cartão vermelho ao final do confronto contra o rival.

Entretanto, para além da formação, uma mudança no comportamento da equipe é urgente. O Flamengo fez duas partidas apáticas e se permitiu ser dominado em boa parte do jogo pelo Fluminense, dependendo exclusivamente da qualidade técnica de seus jogadores.

Gabigol em baixa

Desde o retorno do futebol após a pausa causada pela pandemia no Brasil, Gabigol tem tido atuações bem abaixo do esperado.

Com um começo de ano fulminante, a pausa provocada no futebol parece ter sido um banho de água fria no centroavante do Flamengo.

Embora contra as equipes menores o jogador tenha participado ativamente dos gols, bem como do gol de Michael que deu o gol da vitória contra o Fluminense no último domingo, Gabigol ainda se mostra muito abaixo diante de seu próprio alto padrão de avaliação.

Siga a página Futebol
Seguir
Siga a página Flamengo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!