Contas em dia, reforços da base e contratações pontuais. O Grêmio terminou 2020 no azul e com um saldo positivo que vai além das contas bancárias. Com um trabalho firme envolvendo suas finanças, o clube trabalha dentro de seu modelo de austeridade, mas enxerga com bons olhos o horizonte de que pode investir um pouco mais para a aquisição de nomes de peso.

Com um planejamento contundente desde que assumiu a presidência do clube em 2014, Romildo Bolzan tem motivos para sorrir após seis anos de trabalhos árduos. Após mais um ano de superávit, o Grêmio conta com um projeto sólido, que ainda é somado às categorias de base rendendo frutos e a continuidade ao trabalho de Renato Portaluppi.

Grêmio planeja voos altos para 2021

No início de fevereiro, quando houve a reunião entre Renato e Romildo para decidir uma eventual negociação, acordos foram colocados sobre a mesa. Da parte de Romildo, um maior aproveitamento da base, enquanto da parte de Renato a necessidade de reforços de peso, que garantissem maior competitividade à equipe.

Sob a demanda de Renato, o Grêmio mudou sua postura dentro do mercado para a temporada. Mirando alto, o Grêmio planeja a contratação de nomes de peso que façam o time subir de prateleira. As tentativas por Santos Borré, Douglas Costa e Rafael Carioca, além das sondagens por Claudinho e Soteldo mostram um Tricolor diferente e mais assíduo dentro do mercado da bola.

Isso, porém, tem um motivo claro: o planejamento do Grêmio.

Grêmio tem contas em dia

O Grêmio fechou suas contas de 2020 com um superávit de R$ 38 milhões. Todo esse montante foi obtido apesar dos efeitos da pandemia do coronavírus, que provocou, inclusive, problemas financeiros em clubes estáveis e com dinheiro em caixa, como Flamengo e Palmeiras.

O trabalho do Grêmio vem desde 2015, quando Romildo assumiu de vez o comando do clube. O ano foi o último desde que o Grêmio fechou no vermelho. De 2015 para 2021, já são cinco anos consecutivos com superávit. A política de austeridade funcionou, o plano de contingência segue e o investimento na base garante sustentabilidade para o elenco gremista.

Investimento na base e retorno para o Grêmio

As revelações constantes na base têm rendido frutos ao Tricolor. Para se ter a ciência, o Grêmio faturou R$ 522 milhões no total com vendas. Nomes como Walace, Arthur, Pedro Rocha, Everton, Tetê, Diego Rosa e Pepê, mais recentemente, foram alguns dos nomes repassados à Europa por altas cifras.

Somado a isso, há ainda jóias na base capazes de manter esse ritmo frenético de vendas, como Vanderson, Brenno, Ruan, Ferreira, Matheus Henrique e muitos outros. O Grêmio mira alto em um projeto sustentável, com pés no chão e, acima de tudo, lucrativo.

Siga a página Futebol
Seguir
Siga a página Grêmio
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!