Com a queda no faturamento da venda de seus smartphones, a companhia norte-americana Apple vai apostar em um serviço de streaming semelhante ao da Netflix, no entanto, também vai incluir em seu catálogo jogos eletrônicos.

Nesta segunda-feira (25) outros serviços serão apresentados durante um evento realizado em um teatro na Califórnia (EUA) que leva o nome do fundador da empresa já falecido, Steve Jobs.

Grandes nomes da sétima arte como Steven Spielberg e J.J Abrams confirmaram sua participação no evento, que no Brasil vai ser transmitido a partir das 14h no horário de Brasília.

Publicidade

A gigante de Tecnologia já havia lançado recentemente alguns novos modelos de hardwares como os iPads Air e mini, iMacs e AirPods. Contudo, o novo projeto tem uma dinâmica parecida com a de outros serviços de streaming como as plataformas Netflix e a Amazon Prime.

Informações apontam que a Apple já teria investido mais de US$ 1 bilhão em produção de conteúdos originais. Seu catálogo cinematográfico já conta com pelo menos dez títulos produzidos pela própria empresa.

Nesse caso, o usuário do serviço Apple vai pagar uma taxa mensal no qual passa a ter acesso ilimitado ao seu acervo de filmes.

A assinatura de conteúdo em vídeo é um modelo de mercado que segue avançando entre os serviços digitais.

Na última semana, por exemplo, a Walt Disney fechou negócio e comprou a 21st Century Fox. A partir de agora, a companhia vai começar a organizar o catálogo do seu novo empreendimento, o serviço de streaming Disney+.

O Disney+ vai disponibilizar ao assinante conteúdo próprio da Disney e também as produções da sua mais nova aquisição, a Fox. O objetivo da empresa é lançar sua plataforma até o final de 2019.

Publicidade

'Netflix de jogos' da Apple

Assim como previsto o lançamento do serviço de streaming para filmes, a Apple também vai apostar na assinatura digital de jogos de videogame. Desse modo, o usuário do canal vai pagar a assinatura mensal e ter acesso irrestrito aos games disponíveis para iPads, iPhones ou também Macs.

Segundo informações da agência Bloomberg, a Apple não vai disponibilizar em seu catálogo os jogos no estilo “freemium”, termo utilizado para associar serviços Free (gratuitos) e Premium (pagos).

Ou seja, a companhia não vai oferecer jogos com download gratuito que depois solicitam pagamentos de serviços extras. Pelo contrário, o usuário que pagar pelo serviço vai ter disponível todos os games do catálogo. Enquanto isso, os desenvolvedores desses jogos vão ser remunerados de acordo com o tempo gasto de cada assinante em seus projetos.

Outras apostas da Apple

Além dos programas similares ao da Netflix, a multinacional também promete outras duas novidades: uma plataforma de assinatura que dá acesso a diversos periódicos como revistas e jornais e, também, um cartão de crédito vinculado ao aplicativo Wallet, disponível para o sistema operacional iOS.

Publicidade

A oferta de novos serviços vem de encontro com as quedas registradas de seu faturamento. Comparado ao último trimestre do ano de 2017, a Apple registrou nos últimos três meses de 2018 uma baixa de 15% na venda dos smartphones iPhone, o seu principal produto de entrada.