A Record já anunciou a produção da minissérie sobre a banda "Mamonas Assassinas, um dos grupos mais queridos pelos brasileiros, entretanto o que ninguém estava sabendo até o momento é que seria utilizado dinheiro público e para isto a emissora estaria usando uma produtora "testa de ferro", ou seja, que atende a todos os requisitos para realizar a captação do dinheiro.

O "Mamonas Assassinas" está orçado em R$ 4,6 milhões e já foi apresentado à Ancine - Agência Nacional do Cinema, só que quem deu entrada no projeto junto à agência não foi a Record e sim a OSS Produções Ltda.

É que a Record, sendo uma emissora de TV, não tem direito a receber dinheiro público para produção de seus programas, mas a OSS se enquadra nos requisitos exigidos.

Esta microempresa, OSS, apresenta com tendo endereço uma residência no Butantã, São Paulo e os documentos disponíveis na Junta Comercial mostra que esta empresa pertence na verdade ao marido de Juliana Algañaraz.

Juliana é a principal executiva da Endemol que é a empresa que estará realizando a minissérie dos "Mamonas Assassinas" juntamente com a Record.

Ou seja, como a Record e a Endemol não podem obter dinheiro público para produzir a minissérie, estão usando a OSS para conseguir esse recurso.

Um dos maiores projetos da Record para este ano é a minissérie "Mamonas Assassinas" e as gravações inclusive já estão tendo início nesta quinta-feira (19). Quem está produzindo é a Endemol que não pode receber dinheiro público por ser uma multinacional e nem pode ser sócia da empresa que irá receber o repasse do governo, por isto a solução encontrada foi entrar com um pedido como se fosse a OSS, empresa esta que está de acordo com a lei e atende a todos os requisitos necessários para obter os "incentivos".

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Famosos Televisão

O portal "Notícias da TV" chegou a obter todos os documentos comprovando que esta empresa, a OSS, foi fundada pela argentina Juliana Algañaraz que é executiva da Endemol e em 2012 transferiu todas as cotas que tinha na OSS para Nibio Salatino que na verdade é seu marido. Eles têm 2 filhos e a casa em que eles moram está no mesmo endereço em que consta na Junta Comercial de São Paulo como sendo a localização da OSS.

Resta saber agora se a Ancine irá liberar os R$ 4,6 milhões para a produção da minissérie, afinal este dinheiro é público.

Continue nos acompanhando que traremos todas as informações sobre o caso.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo