A atriz Maitê Proença fez uma revelação pessoal importante, durante a oitava edição da Semana da Justiça Pela Paz em Casa. A revelação que aconteceu nesta segunda-feira, 21, no Rio de Janeiro, emocionou muitas pessoas que estavam no evento e nas redes sociais a comoção foi geral A atriz revelou que sua mãe foi morta com 16 facadas e o assassino morava em sua própria casa. O crime foi cometido quando a atriz tinha apenas 12 anos e foi praticado por seu próprio pai.

A revelação foi reverberada nas redes sociais e publicada também no jornal 'O São Gonçalo'.

O motivo da atriz ter falado poucas vezes de forma tão aberta sobre o assunto é por conta da dor que ela sente toda vez que revive a cena. A tragédia familiar foi totalmente inesperada, já que a convivência dos pais era pacífica e nunca deu sinais de que uma violência deste nível pudesse ser tomada.

Pai de Maitê Proença matou a mãe com 16 facadas e a atriz presenciou tudo

A adolescente na época, não podia esperar por um crime tão bárbaro.

Ela revelou que sua família era daquelas perfeitas, de comercial de margarina. Ela aprendia instrumentos com os pais, praticava esportes, fazia aula de idiomas extras. Em casa ainda adorava tocar piano de cauda com sua mãe e seu pai ainda era um nato contador de histórias mitológicas. Tudo foi interrompido quando seu pai cometeu o crime brutal. Ele acabou indo morar numa chácara e após ter distúrbios mentais, foi parar em um hospício, ficando lá até o final da vida.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Famosos

Pai disse que escolheu uma faca para matar, porque a arma era uma extensão de seu corpo

Já no manicômio, a atriz fazia visitas ao pai. Já assimilado o crime, ela chegou a questionar seu pai o porquê ele não escolheu uma arma de fogo para o assassinato, para que o crime fosse menos cruel. Emocionada e abalada, ela revelou que seu pai disse que a arma escolhida, a faca, era uma extensão de seu corpo, então não havia como se desvencilhar.

Talvez fosse o ponto alto de sua insanidade mental.

O crime aconteceu em 1970, e ela preferiu não falar o nome de seu pai. Maitê Proença ainda revelou que seu pai foi absolvido por duas vezes seguidas, ambas, por conta de depoimentos da filha. Ela revelou que o crime foi praticado em atos de loucura de seu pai e não por maldade, ou por ter uma mente criminosa.

Crime vitimou toda a família

O depoimento de Maitê teve como objetivo alertar a todos que procurem ajuda a qualquer sintoma de depressão ou insanidade enquanto é tempo.

Sua família teve muito mais que apenas sua mãe como vítima. Ela ficou muito abalada, mas seus irmãos praticamente definharam pós crime. Um deles morreu bebendo. E outro virou usuário de drogas o que debilitou muito sua saúde.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo