Em 'O Sétimo Guardião', um serial killer está à solta, fazendo vítimas entre os guardiões da fonte de água mágica da pacata cidade de Serro Azul.

O primeiro que entrou na mira do serial killer foi o delegado Machado (Milhem Cortaz) e o próximo será Feliciano.

Tudo começa com Olavo (Tony Ramos) interrompendo o fornecimento de água, explodindo o reservatório da cidade. Eurico (Dan Stulbach), que está louco para se vingar dos antigos companheiros, depois de ser expulso da irmandade, revelará à população que embaixo do casarão tem uma fonte de água fresquinha que é de direito da população.

Publicidade

Desesperados, sem ter água sequer para beber, os moradores tentam invadir a residência. O delegado Machado, que estará no local, tentará impedir a invasão e a população diz que ele não tem moral para impedir nada, uma vez que usa calcinhas. Com a ajuda de outros homens, Nicolau (Marcelo Serrado) baixa as calças do delegado e todos veem que ele está de calcinha.

Humilhado mais uma vez, ele corre e se tranca na delegacia, pedindo para ficar ali até o próximo dia, enquanto coloca as ideias no lugar.

Cássia (Flávia Alessandra) vai até a delegacia para conversar com o marido. Chama, mas ele não responde. Peçanha (Felipe Hintze) arromba a porta para ver o que está acontecendo. É nesse momento que Cássia vê o corpo do marido estendido no chão. O cadáver tem um bilhete no peito escrito: "Este é o primeiro; faltam seis". O bilhete faz clara referência aos sete guardiões.

Os outros guardiões, Milu (Zezé Polessa), Aranha (Paulo Rocha), padre Ramiro (Ailton Graça), Murilo (Eduardo Moscovis), Ondina (Ana Beatriz Nogueira) e Feliciano (Leopoldo Pacheco) entram em pânico ao saber que estão na mira de um assassino.

Publicidade

O assassinato de Feliciano

Todos se reúnem sem a presença de Gabriel (Bruno Gagliasso), que a esta altura está em coma, e dizem que precisam consultar o livro da Irmandade para saber como agir. É nesse momento que Judith (Isabella Garcia) percebe que o precioso livro sumiu depois que a população invadiu o casarão. Padre Ramiro é o primeiro a dizer que todos eles estão totalmente perdidos.

Feliciano pede que Milu leia seu futuro no tarô, mas ele não consegue ver com exatidão o que se passa. Ele ainda brinca com a situação, dizendo que não tem futuro, mas a bruxinha interrompe a brincadeira dizendo que aquilo era assunto sério.

Depois de encontrar Milu, Feliciano segue para o cabaré de Ondina, bebe muito e vai embora bêbado, já bem tarde da noite. A cena mostra que alguém o observa de longe.

Quando padre Ramiro vai abrir a igreja no dia seguinte, vê o amigo Feliciano deitado, como de costume, mas acaba percebendo que ele não está simplesmente deitado. Ele está morto e todos ficam completamente desesperados.