Isolada do mundo, Paula segue como uma das favoritas para vencer o “Big Brother Brasil 19", reality show exibido pela Globo, e não tem ideia da "avalanche" que provavelmente a espera quando deixar a casa mais vigiada do Brasil, na próxima sexta-feira (12), data em que o programa chega ao fim.

Até lá, haverá três paredões. Um no domingo, outro na terça-feira e mais um na quinta. Paula, porém, é apontada como favorita para vencer o reality show e, mesmo que vá para alguns desses paredões, é apontada em pesquisas como favorita para permanecer na casa.

Publicidade

A advogada de Minas Gerais se destacou em um das edições mais fracas do reality show. Quase não houve brigas e discussões, e as polêmicas que repercutiram dentro da casa foram de coisas que aconteceram do lado de fora do confinamento. Esse é o caso do acriano Vanderson, que foi expulso por ser acusado de três crimes e teve que deixar o confinamento a pedido da polícia, para depor.

Paula também deve depor quando deixar o reality show. Isso porque a loira está sendo acusada de ter sido preconceituosa com o comentário que fez sobre a religião de Rodrigo.

O ator foi eliminado na última terça-feira (2) e resolveu depor contra ela.

Esse já era o anseio de sua família fora da casa desde que Paula citou a religião dele, o candomblé, de maneira que foi considerada ofensiva. O delegado Gilbert Stivanello, da Delegacia de Combate a Crimes de Racismo e Intolerância do Rio de Janeiro, concedeu entrevista ao UOL e falou sobre o caso.

"Trata-se de injúria por preconceito alusivo à religião", explicou o delegado. A pena para esse tipo de crime varia de um a três anos de reclusão e há a aplicação de multa.

Publicidade

O delegado também explicou que há alternativas à pena de reclusão, como em grande parte dos crimes. Quem daria a resposta, neste caso, seria o Judiciário.

Depoimento de Rodrigo

Rodrigo prestou depoimento nesta sexta-feira (5). Agora, o processo vai andar. Como a ofensa foi dirigida a ele, somente ele poderia fazer com que o processo caminhasse se prestasse queixa. Foi o que o ator fez.

Agora, Paula terá a oportunidade de se defender apresentando sua versão do fato. Isso só vai acontecer quando ela deixar a casa, de acordo com o delegado.

Gilbert explicou também as partes do processo.

Se for comprovado que Paula sabia da possibilidade de ofender ou tinha esse objetivo, ela poderá ser indiciada. Neste caso, o inquérito seria relatado e encaminhado à Justiça Comum, que daria continuidade ao processo.

Ao UOL, a irmã e advogada de Paula, Mônica von Sperling, afirmou que a família estava preparada caso Rodrigo oferecesse denúncia. Mônica afirmou que é um direito do participante do BBB caso ele tenha se sentido ofendido. A advogada disse também que Paula não teve a intenção de ofender ninguém com o seu comentário.

Publicidade

No dia 6 de fevereiro, ela disse que tinha medo de Rodrigo por causa "desse negócio de Oxum". Em seguida, ela disse que o "nosso Deus é mais forte".