O samba está de luto. Morreu no final tarde desta terça-feira (30), aos 72 anos, a cantora de samba Beth Carvalho. Ela estava internada desde o dia 8 de janeiro, no hospital Pró-Cardíaco, no Rio de Janeiro. O empresário da artista, Afonso Carvalho, informou que a causa da morte foi infecção generalizada.

Há anos a cantora vivia enfrentando problemas de saúde por conta de dores na coluna, fazendo-a, inclusive, cancelar apresentações, como um show que faria em Copacabana no Réveillon de 2009.

No ano passado, em um show junto com o grupo Fundo de Quintal, a cantora se apresentou deitada em uma cama. Mas nem mesmo o fato de estar internada a impediu de seguir soltando a voz, como mostrou um vídeo divulgado por sua filha, o qual a mostrava cantando em uma cama de hospital.

Carreira de sucesso

Nascida no dia 5 de maio de 1946, no Rio de Janeiro, Elizabeth Santos Leal de Carvalho, segundo informações que consta em seu site oficial, teve o primeiro contato com a Música ainda criança.

Incentivada pela família, ela ganhou seu primeiro violão aos oito anos, que lhe foi presenteado pelos avós. Com a prisão do pai em 1964, durante a ditadura militar, ela passou a dar aulas de música.

A primeira gravação data do ano de 1965, quando seu primeiro compacto simples contendo a música "Por Quem Morreu de Amor”, composta por Roberto Menescal e Ronaldo Bôscoli. Quatro anos mais tarde veio seu primeiro grande sucesso, “Andança”, música composta por de Edmundo Souto, Paulinho Tapajós e Danilo Caymmi, que batizava seu primeiro LP.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Música Mundo

Um ano antes do lançamento do disco, em 1968, já havia ficando na terceira posição no Festival Internacional da Canção (FIC), exatamente com “Andança”.

Nos anos seguintes ela emplacou vários outros sucessos, como “Olho por Olho”, “Firme e Forte”, “Coisinha do Pai”, “Vou Festejar” e “Folhas Secas”, esta última composta por Nelson Cavaquinho. A música “Coisinha do Pai” foi programada para “despertar” em 1997 um robô que estava em missão no planeta Marte.

Em 50 anos de carreira, ela gravou 33 discos e 4 DVDs, o que lhe rendeu muitos prêmios, além de fazer apresentações em vários países.

Madrinha do samba

Ao longo de sua carreira, Beth Carvalho se tornou frequentadora assídua da quadra Cacique de Ramos, onde descobriu e apoiou diversos talentos, o que lhe fez ficar conhecida como a “Madrinha do Samba”. Dentre esses talentos, está o cantor Zeca Pagodinho, Almir Guineto, Sombrinha, Jorge Aragão e o grupo Fundo de Quintal.

Justamente foi com o Fundo de Quintal uma das últimas aparições da cantora, em setembro do ano passado.

Já com dificuldades de mobilidade por conta dos problemas na coluna, ela se apresentou deitada em uma cama.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo