O "Big Brother Brasil 19" chegou ao fim, mas o reality permanece dando o que falar. Ao deixar o programa, o ex-BBB Rodrigo tomou conhecimento de fatos que ocorreram dentro da casa e resolveu tomar uma atitude em relação aos comentários considerados preconceituosos feitos por Paula ao longo do programa. Ele compareceu à Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi) para depor contra a campeã do "BBB19" por injúria.

Na última sexta-feira (12), ao sair do programa, Paula tomou conhecimento da repercussão que o fato estava tendo fora do reality e, na tarde desta segunda (15) a mineira deu entrada na Decradi para prestar depoimento no inquérito em que é investigada.

Publicidade

Paula evita jornalistas ao chegar à delegacia

Segundo o jornal Extra, ao chegar à delegacia, Paula, que estava acompanhada da irmã e advogada Mônica von Sperling, evitou os jornalistas. A irmã de Paula disse apenas que não diriam absolutamente nada sobre o ocorrido e que também não gostaria que nada daquilo fosse publicado. Mônica disse ainda que, talvez mais tarde, Paula se manifestasse sobre o assunto.

O delegado Gilbert Stivanello havia informado no último sábado (13) que o depoimento de Paula aconteceria nesta quarta-feira (17), porém devido à agenda da ex-BBB, o depoimento teria sido antecipado para esta segunda-feira.

Em entrevista, antes de Paula chegar à delegacia, o delegado afirmou que, após a colheita do depoimento, acreditava que não haveria mais provas para colher. Após avaliar todas as informações, o delegado irá concluir o inquérito e encaminhar à Justiça e ao Ministério Público, que irá decidir se fará a denúncia ou arquivará o processo.

Rodrigo afirmou que tomaria atitude pelo coletivo

Ao se pronunciar sobre o ocorrido, Rodrigo revelou ter ficado bastante chateado com a situação. Em sua primeira entrevista no programa "Mais Você", Rodrigo se mostrou bastante emocionado ao falar sobre os ataques recebidos nas redes sociais e sobre o episódio envolvendo Paula.

Publicidade

O dramaturgo disse à Ana Maria que iria processar Paula em relação à intolerância religiosa. Ele afirmou que ele e sua família cultuam o candomblé, mas que não entrou no programa com o intuito de catequizar ninguém. O ex-BBB disse ainda que tomaria a atitude não só por si mesmo, mas por todos os seus, pois não poderia se calar.

Adalberto Neto, assessor de imprensa de Rodrigo, foi quem contou ao brother toda a situação que aconteceu na casa e afirmou que Rodrigo recebeu tudo de maneira bem serena, surpreendendo-o positivamente, e que Rodrigo já imaginava existir certo tipo de preconceito por parte da colega de confinamento.