Verônica Costa ganhou espaço na mídia por ser uma da pioneiras do funk ao lado de Rômulo Costa, na Furacão 2000. Com o passar dos anos, a carreira da Mãe Loura, como ficou conhecida, acabou tomando novos rumos e Verônica se tornou vereadora pelo MDB, na cidade do Rio de Janeiro, cargo que ocupa nos dias atuais. Em 2011, a famosa acabou sendo acusada pelo ex-marido, Márcio Costa, de tê-lo torturado com ajuda de alguns parentes. O caso foi julgado nesta terça-feira (9), e Verônica terá de cumprir pena de 5 anos e dez meses de prisão, em regime semiaberto.

Publicidade

Entenda o caso

Há oito anos, a notícia de que Márcio Costa, marido da funkeira na época, havia sido vítima de tortura ordenada por Verônica Costa ganhou as manchetes jornalisticas. Na ocasião, o rapaz relatou que teria sido agredido, amarrado, teve o corpo coberto por um produto químico e foi ameaçado de ter o corpo queimado: "Ela [Verônica] ficou repetindo que eu tinha amante. Depois, falou que eu estava roubando o dinheiro dela", contou Márcio na ocasião, segundo divulgou o site do jornal Extra.

De acordo com as investigações da Polícia Civil [VIDEO], a ação praticada contra Márcio Costa teria sido realizada por parentes de Verônica Costa, que teria dado ordens para a tortura. Conforme relatou o Extra, Márcio acabou sendo amarrado em um banheiro da casa em que vivia com a Mãe Loura logo após um jantar do casal, e teve os pulsos e pés amarrados com cordas, cadeados e correntes. Com os olhos vendados e com uma mordaça na boca, Márcio teria sofrido as torturas ali mesmo na casa em que morava com Verônica.

Publicidade

Na época em que o caso veio à tona, Verônica negou todas as acusações e informou à Polícia que o marido havia chegado em casa machucado e ainda sob efeito de drogas .

A sentença do juiz para Verônica Costa

No final do ano de 2011, Verônica Costa acabou sendo indiciada pela Polícia Civil e acabou virando ré um mês após a abertura do processo. De lá para cá, o caso acabou sendo encaminhado para a segunda instância do Tribunal de Justiça do Rio, devido ao cargo político ocupado por Verônica Costa.

Sete anos após a abertura do processo, o caso acabou retornando à 16ª Vara Criminal, em novembro de 2018.

Diante dos fatos apresentados, o juiz Marcelo Oliveira da Silva tomou sua decisão a respeito da sentença de Verônica Costa e decretou que ela deverá cumprir sua pena em regime semiaberto. O juiz ainda determinou que a vereadora perca seu cargo político. Porém, ainda cabe recurso à sentença.

De acordo com a defesa de Verônica Costa, a vereadora teria reiterado sua inocência e já anunciado a decisão de recorrer da decisão do juiz.

Publicidade

"Está tranquila e confia na Justiça", afirmou Pedro Lavigne ao falar sobre sua cliente.