A jornalista Sônia Abrão foi mais uma dentre vários profissionais de comunicação que saíram em defesa de Mauro Naves, afastado das coberturas esportivas da Rede Globo desde a última quarta-feira (5), por interferência no caso Neymar. Ela reprovou como a emissora carioca tratou seu funcionário no episódio.

Durante o programa "A Tarde É Sua", da Rede TV!, exibido na tarde desta quinta-feira (6), Sônia criticou como a notícia do afastamento de Naves foi divulgada, na bancada do "Jornal Nacional", principal informativo da casa. Para ela, o colega de profissão foi humilhado por ter seu nome exposto daquela forma e ainda criticou o âncora William Bonner pela falta de coleguismo ao fazer o pronunciamento.

"Como é que você vê a bancada do telejornal de maior audiência do Brasil destruir um profissional?", questionou a apresentadora. "Eu condeno o (William) Bonner porque ele é o editor do jornal, ele sabia muito bem o que estava fazendo", continuou Sônia, questionando ainda porque Mauro Naves, o qual ela destacou como sendo um excelente profissional, não contou com o respeito de Bonner.

O afastamento de Mauro Naves causou desconforto até mesmo dentro da Rede Globo, onde outros profissionais do setor de esportes teriam reprovado a forma como o caso foi exposto e até mesmo temem pela demissão do profissional, que tem mais de três décadas de serviços prestados à emissora carioca. O profissional já estava se preparando para trabalhar na transmissão do jogo amistoso entre Brasil e Qatar, em Brasília, quando foi comunicado de seu afastamento.

Entenda o caso

Querendo, de acordo como ele próprio explicou para a direção da emissora, exclusividade em noticiar o caso, o jornalista Mauro Naves passou o contato de Neymar pai para os advogados de Najila Trindade, que acusa o jogador do Paris Saint-Germain de agressão e estupro. Ele não teria comunicado esse fato aos seus superiores na emissora.

O caso veio à tona após o telejornal ter anunciado na terça-feira (4), uma carta aberta dos advogados de Najila relatando que a reunião com os advogados do jogador foi feita a pedido do pai de Neymar, que no dia seguinte, em nota, desmentiu a informação e disse que foi procurado pelo advogado da jovem, José Edgard Cunha Bueno, que o procurou, e que o advogado obteve o contato dele por intermédio do jornalista.

Mauro disse que já conhecia o advogado e por isso passou o conato e depois que o caso se tornou público entendeu que sua participação no caso era irrelevante. A emissora não entendeu dessa forma, e, alegando que o profissional havia contrariado as expectativas da empresa, decidiu afastá-lo das transmissões esportivas.

Siga a página Neymar
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!