No último domingo (1°), a apresentadora Fátima Bernardes compartilhou em sua conta do Instagram uma foto bastante significativa. Na imagem estão reunidos alguns apresentadores que ocuparam a bancada do "Jornal Nacional" ao longo dos 50 anos em que o telejornal está no ar. Presente na imagem, estava o ex-marido de Fátima e atual âncora do "JN", William Bonner.

Além de Bonner, também aparecem na fotografia Alice Maria (um dos nomes responsáveis por criar o programa), Patrícia Poeta, Sérgio Chapelin e também Renata Vasconcellos.

Ao legendar a fotografia, Fátima afirmou que se sente feliz por ter feito tantos amigos ao longo de sua trajetória no telejornal e também por ter trabalhado ao lado de pessoas que gostam do que fazem. A apresentadora ainda destacou o talento dos apresentadores presentes na imagem.

O "Jornal Nacional" completou 50 anos no último domingo, e o encontro retratado na foto se deu em função das comemorações do meio século do programa.

Fátima apresentou o telejornal por mais de 10 anos, no período compreendido entre 1998 e 2011. Durante esse período, ela sempre esteve ao lado do ex-marido, que é âncora do "JN" desde 1996.

Em comemoração aos 50 anos também está acontecendo um rodízio de apresentadores do "Jornal Nacional". Ainda no último sábado (1°), Cristina Ranzolin e Márcio Bonfim foram a primeira dupla a participar desse rodízio, que deverá acontecer até o dia 30 de novembro, sempre aos sábados, e contará com a participação de âncoras de todas as afiliadas da Globo no território brasileiro.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Famosos Fátima Bernardes

50 anos de história

O "Jornal Nacional" foi ao ar pela primeira vez no dia 1º de setembro de 1969. Surgido durante um período de grandes revoluções tecnológicas, ele foi transmitido pela Globo em todo o Brasil. No contexto, essa tarefa parecia algo inimaginável.

Sobre a importância do "Jornal Nacional", José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, conhecido pelo apelido de Boni, relembra que o telejornal abriu o caminho para que a novela e o entretenimento acabassem se tornando nacionais.

Além disso, de acordo com Boni, o "JN" também contribuiu significativa para que a televisão fosse da maneira como a conhecemos atualmente.

Ao longo de seus cinquenta anos de história, o "Jornal Nacional" foi acusado de possuir uma tendência política, mas esteve sempre presente na cobertura de reportagens importantes e ainda ganhou alguns prêmios.

Um dos principais pontos para a longevidade do "Jornal Nacional", sem dúvidas, está ligado ao fato de que o programa soube se adaptar com eficiência às mudanças que o contexto pedia.

Nesse sentido, é possível destacar a presença de mulheres na bancada, que antes estava restrita aos homens, e também ao fato de que os apresentadores caminham pelos cenários, ainda que a informalidade seja criticada por Boni.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo