Depois de anos oscilando entre os mesmos autores para a faixa de horário das 21h, a Globo decidiu apostar em novos nomes por volta de 2009, ocasião em que a novela "A Favorita", de João Emanuel Carneiro, atingiu um grande sucesso de público. Devido a isso, veteranos como Walcyr Carrasco tiveram a oportunidade de escrever tramas para o “horário nobre” e fazer a sua estreia na faixa citada.

Nessa segunda-feira (25), será a vez de Manuela Dias conquistar o seu espaço no horário. A autora baiana fará a sua estreia com "Amor de Mãe".

A trama conta a história de três mulheres –Lurdes (Regina Casé), Thelma (Adriana Esteves) e Vitória (Taís Araújo)–, que terão as suas vidas interligadas pela maternidade.

De cara, a novela já chama a atenção pela presença de Regina Casé, que esteve afastada das Novelas desde que participou de "As Filhas da Mãe", ainda em 2002.

As histórias das três protagonistas prometem causar identificação no público brasileiro. Lurdes, por exemplo, ainda na primeira fase de "Amor de Mãe", deixará a sua terra natal para se mudar para o Rio de Janeiro. Isso acontecerá depois que o marido dela vender um de seus filhos para uma traficante de crianças. Então, Lurdes partirá em busca do menino.

Thelma, por sua vez, se tornou viúva há muito tempo e passou a dedicar a sua vida a Danilo (Chay Suede), o seu filho. Isso fez com que ela se tornasse uma mãe superprotetora. A vida da personagem será modificada por completo quando ela descobrir um aneurisma inoperável.

Por fim, Vitória é uma advogada poderosa e bem-sucedida, que defende empresários e políticos envolvidos em casos de corrupção. Apesar do sucesso profissional, o casamento de Vitória está ruindo devido às pressões para engravidar após perder um bebê no sexto mês de gestação. Como forma de se tornar mãe, a personagem de Tais Araújo vai optar pela adoção.

Entretanto, ela acabará engravidando após uma noite casual com Davi (Vladmir Brichta).

Diferencial da novela

Pelo que se sabe da trama de Manuela Dias até o presente momento, destaca-se que a abordagem realista será um dos grandes diferenciais de "Amor de Mãe". Esse tom mais realista estará ligado, principalmente, ao fato de que não será possível identificar mocinhos e vilões com facilidade na trama.

A respeito disso, Manuela afirmou que pessoas comuns são os personagens que despertam o seu interesse e fazem com que ela se comova. Assim, "Amor de Mãe" terá traços de uma “dramaturgia documental”, mas não será o que se pode chamar de “neorrealismo”, visto que, para Dias, a vida não é dessa forma e se assemelha mais a uma novela mexicana.

Para a autora, essa comparação se justifica dadas as altas cargas de dramaticidade do cotidiano, visto que ninguém está vivendo “um dia normal”. Assim, o verdadeiro vilão de "Amor de Mãe" será a própria vida.

Siga a página Novelas
Seguir
Siga a página Relacionamento
Seguir
Siga a página Televisão
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!