A cena que foi gravada pela atriz Cacau Protásio, no último domingo (24), e que acabou gerando todo o episódio de racismo sofrido pela atriz, do filme “Juntos e Enrolados”, não será retirada da versão final do filme, segundo foi informado pela produção do filme recentemente.

O caso acabou gerando a maior polêmica nas redes sociais pois foram divulgadas mensagens contendo conteúdos racistas nas redes sociais, após a atriz ter gravado uma cena do filme em um quartel do Corpo de Bombeiros.

Toda a situação aconteceu após a atriz ser flagrada filmando para o seu novo filme em um quartel no Rio de Janeiro.

As imagens da gravação foram divulgadas em grupos do WhatsApp por pessoas que se mostraram indignadas com a situação.

Para mostrar sua indignação, porém, estas pessoas acabaram enviando áudios com comentários racistas sobre a atriz. As mensagens acabaram sendo amplamente divulgadas em grupos do aplicativo. A cena que causou grande indignação era um momento em que um bombeiro sonhava com a mulher que ele gostava, que é interpretada pela atriz no filme.

A atriz contou que o momento tratava do sonho do bombeiro, na qual ela aparecia dançando de forma sensual para ele, e que não passava de uma imaginação do homem que gostava da personagem interpretada por ela no longa. Cacau e os dançarinos que a acompanharam na cena gravaram no local de 6h até as 17h, no dia em que as imagens foram registradas.

Cacau Protásio comenta episódio de racismo

Em uma entrevista para o “Fantástico”, neste fim de semana, Cacau falou do lamentável episódio de racismo que sofreu. Ela declarou que não merece ser xingada dessa forma, e que, como qualquer outra pessoa, merece respeito.

Ela ainda conta que chegou no local para a gravação e tratou as pessoas muito bem, e que foi recebida também de forma igual por todos do local.

Ela ressalta, no entanto, que a confusão toda se iniciou através de um grupo de WhatsApp dos Bombeiros, e que se espalhou após isso. Cacau ainda declarou que é muito doloroso para ela ouvir este tipo de coisa que foi repassada nas mensagens.

O “Fantástico” teve acesso a um dos áudios que estavam sendo enviados pelo WhatsApp, no qual uma pessoa atacava Cacau com comentários racistas, e se mostrava indignada pelo fato de que ela estava usando uma farda no momento da gravação.

A atriz ainda declarou em sua entrevista que o caso dos áudios traz registros de homofobia, gordofobia e racismo. Ela ainda destaca que registou um Boletim de Ocorrência referente ao caso. A atriz ainda conta que no momento em que ela foi registrar o Boletim de Ocorrência, acabou ficando presa no elevador, que parou, e foi informada que precisariam chamar os bombeiros para isso. Ela revela ter ficado com medo de que o homem que a ofendeu fosse atendê-la.

Siga a página Famosos
Seguir
Siga a página Cinema
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!