O goleiro do São Paulo, Jean, foi preso nesta quarta-feira (18), em Orlando, nos Estados Unidos, acusado de violência doméstica contra a esposa Milena Bemfica.

O jogador foi fichado às 7h27, horário local, no Departamento de Correções do Condado de Orange. A esposa do goleiro do São Paulo postou nas redes sociais um vídeo onde aparecia com o rosto machucado. Na gravação ela diz que o autor da agressão foi o próprio marido, Jean. Algumas horas após postar ela deletou as imagens.

Na postagem ela pede socorro e diz que o marido havia a agredido e que eles estavam de férias nos EUA. Milena diz que estava trancada no banheiro e que queria justiça.

No fundo se ouve Jean perguntando se Milena vai fazer ''isso'' com a filha do casal.

Em seguida a Mulher publicou uma mensagem de uma conversa que teve com Jean. Ele disse que a esposa estava de parabéns, pois agora ela acabou com a carreira dele e as filhas vão passar fome.

A revista Veja procurou o diretor de futebol do São Paulo, mas Raí não respondeu mensagens nem retornou as ligações, mas o São Paulo soltou uma nota onde diz que está acompanhando a repercussão do caso do goleiro Jean.

Jean já foi afastado por indisciplina

O goleiro foi afastado e multado por indisciplina no São Paulo F.C. por indisciplina quando se desentendeu com o técnico Vagner Mancini.

Na ocasião ele abandonou uma conversa entre os jogadores e a comissão técnica no CT do clube.

O goleiro Jean não pode treinar junto com a equipe, enquanto estava sob punição, ele treinava sozinho em horário diferente dos companheiros de equipe. Além disso, Jean ficou fora de um jogo do Campeonato Paulista.

Jean estava se sentindo incomodado com as cobranças vindas do técnico, e abandonou a conversa entre a comissão técnica e os jogadores e não apareceu ao treino seguinte.

Depois da suspensão e multa dele, Tiago Volpi virou titular no clube.

Feminicídio cresce

A lei do feminicídio foi criada para proteger as mulheres da violência doméstica e do feminicídio, mas o sucesso da lei está longe do esperado.

Segundo uma pesquisa, no primeiro trimestre de 2019 em São Paulo, o feminicídio aumentou em 76%.

Segundo pesquisa realizada pelo G1, enquanto 21 mulheres foram vítimas de feminicídio no primeiro trimestre de 2018, em 2019, 37 mulheres foram vítimas do crime.

O número quase que dobrou em um ano, o que é preocupante, pois isso significa que as medidas em vigor não são suficientes para proteger mulheres vítimas de violência doméstica, que na maioria das vezes é cometida pelo companheiro.

Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Mulher
Seguir
Siga a página São Paulo FC
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!