A polêmica envolvendo o especial de Natal do Porta dos Fundos, "A Primeira Tentação de Cristo”, ganhou mais um capítulo nesta quarta-feira (8). O desembargador Benedicto Abicair, da Sexta Câmara Cível do Tribunal de Justiça do RJ, determinou que o material seja retirado do catálogo da Netflix.

A decisão foi tomada por meio de uma liminar e atende a um pedido feito pela Associação Centro Dom Bosco de Fé e Cultura. A produção, que estreou em dezembro, é uma sátira de histórias da Bíblia e insinua um relacionamento homossexual de Jesus Cristo, no período em que, de acordo com as escrituras dos cristãos, ele esteve no deserto.

Também há insinuações de um triângulo amoroso envolvendo José, Maria e Deus.

A justificativa dada pelo desembargador é que a decisão serviria para “acalmar os ânimos”. Ele também diz que o pedido para a retirada do material do ar é benéfico não só para a comunidade cristã, como também para a sociedade brasileira.

O desembargador disse ainda ser favorável ao debate sobre Religião, homossexualidade e racismo, desde que sejam preservados o bom senso e a boa educação, pois do contrário passasse para a agressão verbal, algumas vezes com desdobramentos físicos.

Abicair ainda criticou a forma como os integrantes do Porta dos Fundos se comportaram nas redes sociais após a divulgação do especial. Para o desembargador, eles agiram com deboche e agressividade.

Ele destacou ainda que toda ação provoca uma reação, fazendo uma clara alusão ao atentado feito contra a produtora da trupe na véspera do Natal.

Ao se manifestar favorável à decisão, o Ministério Público entendeu que houve “abuso do direito de liberdade de expressão através do deboche e do escárnio com a fé cristã”.

Desde sua estreia a produção tem sido fortemente criticada nas redes sociais por grupos cristãos. Tanto a produtora Porta dos Fundos quanto à Netflix disseram que ainda não foram notificadas da decisão.

Suspeito está na lista vermelha

Um dos suspeitos ao ataque à produtora do Porta dos Fundos, o empresário Eduardo Fauzi Richard Cerquise foi incluído nesta quarta-feira (8) na lista vermelha da Interpol.

Ao constar nesta lista, o procurado pode ser preso por forças policiais em qualquer país em que esteja.

Os investigadores já sabem que o suspeito fugiu para a Rússia no dia 29 de dezembro, dois dias antes de ter expedido pela Justiça um mandado de prisão. Das cinco pessoas que teriam participado do ataque, ele foi o único que participou da ação sem cobrir o rosto. Era ele quem dirigia o veículo usado na fuga.

No último dia 1º, Fauzi postou um vídeo nas redes sociais. Na gravação ele chegou a ser referir aos integrantes do Porta dos Fundos como “vagabundos”.

Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Seriados
Seguir
Siga a página Religião
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!