A Música brasileira perdeu nesta sexta-feira (21) a cantora Cláudia Telles, que morreu em decorrência de complicações cardiorrespiratórias. Ela tinha 62 anos e estava internada desde 16 de janeiro no hospital Ronaldo Gazzola, em Acari, no Rio de Janeiro, para onde tinha sido levada após sofrer uma parada cardíaca.

Uma das vozes que ajudou a difundir o gênero da Bossa Nova, a artista ficou conhecida pelas canções “Fim de Tarde” (que na década de 1990 foi regravada pelo grupo Fat Family) e “Eu Preciso de Você”, escritas por Robson Jorge e Mauro Motta, respectivamente. Ela viveu ao auge na carreira na década de 1970 e teve uma de suas músicas incluídas na trilha sonora de uma novela de grande sucesso da TV Globo.

O filho da cantora, Bruno Telles, concedeu entrevista ao jornal O Dia e agradeceu as orações feitas pelos fãs da artista. “Ela tinha um carinho imenso por cada um de vocês”, disse.

Não há informações sobre velório e sepultamento da cantora.

Cláudia Telles era filha de Sylvinha Telles

Filha da também cantora Sylvia Telles (1935–1966), Claudia Telles de Mello Mattos nasceu em 26 de agosto de 1957, no Rio de Janeiro. Iniciou sua carreira profissional em 1972, fazendo em coro em gravações de artistas como Roberto Carlos e José Augusto.

Entre 1977 e 1979 gravou três discos pela gravadora CBS, sendo que o primeiro deles trazia a canção “Eu preciso te Esquecer”, música que também batizava o álbum. Essa canção foi veiculada na novela da Rede Globo “Locomotivas”, consolidando o sucesso na fase inicial de sua carreira.

Inspirada no cancioneiro do compositor norte-americano Burt Bacharach, “Aprenda a amar” (Walter d'Ávila Filho e Claudia Telles, 1977), foi o segundo trabalho da cantora a ganhar as rádios. Outra canção do disco, mas sem o impacto das duas primeiras, foi Dindi (Antonio Carlos Jobim e Aloysio de Oliveira, 1959).

Os dois alguns seguintes, que foram batizados com o nome da cantora, não tiveram o retorno comercial desejado e a Cláudia acabou sendo dispensada da gravadora CBS.

Tributos fonográficos

Após um hiato de quase dez anos, em 1988 lançou seu quarto álbum, o único da década, chamado novamente de Cláudia Talles.

Após esse trabalho, passou a se dedicar tributos fonográficos de compositores.

Antonio Carlos Jobim, a Cartola, a Nelson Cavaquinho e a Vinicius de Moraes foram alguns compositores homenageados pela cantora, além de sua própria mãe, Sylvinha Telles, em trabalho editado em 1997.

Editado em 2009, com regravações de músicas de compositores identificados com a bossa nova e a MPB, o álbum “Quem sabe você”, foi o último trabalho lançado pela cantora. Em 2012 foi lançada uma coletânea com os 12 maiores sucessos da fase inicial da cantora.

Siga a página Música
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!