Após o pronunciamento do presidente da República Jair Bolsonaro, muitas controvérsias foram geradas. Durante a fala do líder do poder Executivo federal, que aconteceu na noite da última terça-feira (24), Bolsonaro contrariou as recomendações de órgãos como a Organização Mundial de Saúde e afirmou que os brasileiros deveriam retomar as suas vidas normalmente, ignorando a quarentena e a instrução de isolamento social referente à pandemia do novo coronavírus.

Ainda durante o seu pronunciamento, o presidente da República destacou que a mídia brasileira acabou por exagerar nos fatos referentes à pandemia, baseando-se no que aconteceu na Itália.

Entretanto, Bolsonaro destacou que se trata de um país com uma população idosa maior do que a brasileira, bem como com um clima completamente diferente do que se tem no território nacional.

Essas falas acabaram por gerar polêmicas e, de acordo com o site Diário do Centro do Mundo, essa postura errática no presidente acaba por fazer com que medidas que precisam ser tomadas em caráter de urgência para a contenção do coronavírus acabem passando por idas e vindas. O site ainda pontuou que a crise do coronovírus já está paralisando a economia do Brasil.

Para ilustrar o seu ponto de vista sobre essa questão, o site destacado ainda citou a última MP de Jair Bolsonaro, segundo a qual os contratos trabalhistas podem ser revogados por até quatro meses. De acordo com o Diário do Centro do Mundo, essa medida sequer deveria ter sido assinada e acabou sendo revogada, ilustrando as idas e vindas do presidente.

Bolsonaro contraria programa de Mandetta

Em editorial publicado nesta quarta-feira, o jornal O Globo afirma que "o pronunciamento de Bolsonaro indica que ele deixou de ouvir o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta".

Segundo a publicação, desde o início da crise, Mandetta vem conduzindo um programa de enfrentamento da pandemia de forma eficiente. Devido ao programa, o ministro está conseguindo bastante apoio entre a população, diferente da popularidade de Bolsonaro, que, de acordo com O Globo, está passando por um período de baixas. Entretanto, ser contrariado pelo presidente em rede nacional é algo que pode ser fatal para Mandetta, especialmente em um ambiente político descrito pelo jornal como tóxico.

Ainda de acordo com o editorial, a impressão que se tem é que a população brasileira não tem importância, em especial às pessoas de baixa renda, que representam a maior parte do povo do Brasil, visto que estas dependem de ações do governo durante a crise, mas Jair Bolsonaro insiste em minimizar os impactos gerados pela disseminação do vírus. O jornal termina o texto afirmando que "Bolsonaro faz a escolha errada e ameaça os brasileiros".

Não perca a nossa página no Facebook!