Na manhã deste domingo (22), o jornalismo brasileiro sofreu uma grande perda. A escritora e jornalista Mariana Kalil não conseguiu sobreviver ao câncer, morrendo aos 47 anos de idade. A informação foi confirmada pelo site de notícias G1, após contatos com fontes próximas a familiares da famosa.

O velório da jornalista não foi aberto ao público, tentando evitar aglomerações no local e seguindo as orientações que foram dadas para contar o avanço do novo coronavírus. O sepultamento ocorreu no crematório Angelus, localizado na cidade de Porto Alegre.

O câncer enfrentado pela jornalista tratava-se em um melanoma, um tipo da doença que age de forma agressiva na pele.

Quem foi Mariana Kalil

A gaúcha sempre se mostrou uma pessoa do mundo, fazendo viagens ao redor de inúmeros países e morando em diferentes cidades, como Rio de Janeiro, São Paulo e Barcelona, aonde realizou uma pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na denominada Escola Superior de Imagem e Desenho.

Todos as suas voltas ao mundo resultaram em incríveis livros que marcaram o profissionalismo da jornalista, podendo ser citados o livros ‘Peregrina de Araque: uma Jornada de Fé e Ataque de Nervos no Oriente Médio', que foi feito após sua viagem para produção de uma reportagem, e também ‘Vida Peregrina: uma jornada de Desequilíbrios, Tropeços e Aprendizado'.

Não parando por aí, Mariana Kalil escreveu também o livro chamado ‘Tudo Tem uma Primeira Vez'. Todas suas obras tiveram publicação da editora chamada Dublinense.

Mariana se formou para Jornalismo na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), tendo trabalhado por duas vezes no Grupo RBS. Na primeira, ela havia assinado a coluna denominada Contracapa, também sendo editora da Revista Donna, aonde marcou seu nome escrevendo crônicas na coluna Por Aí.

Não parando por aí, Mariana Kalil ainda marcou seu nome sendo correspondente da BBC na Espanha, exerceu seu trabalho no Jornal do Brasil, O Estado de S. Paulo, IstoÉ e Época. Antes de sua morte, a gaúcha realizava trabalhos como colunista para a emissora BandTV e para a Band News FM. O site Mari Kalil, focado no público feminino, também recebeu edições da jornalista.

A profissional deixará saudades em seu marido Carlos Eduardo Sperotto, bem como em sua mãe, Iolanda Kalil, seu pai, Renato Kalil, além dos irmãos Lúcia e Conrado.

O velório, devido aos problemas que o Brasil vem sofrendo pelo novo coronavírus, contará apenas com as pessoas mais íntimas da jornalista. O enterro foi realizado, como exposto acima, no Memorial Angelus, localizado na cidade de Porto Alegre das 15h às 15h.

Não perca a nossa página no Facebook!