Na última semana, Lívia Andrade, uma das apresentadoras do programa 'Fofocalizando', exibido pelo SBT, afirmou que pastores de igrejas evangélicas estariam comercializando "álcool em gel ungido" em meio à crise do coronavírus. De acordo com o site UOL, Silvio Santos, dono da emissora teria se aborrecido com Lívia Andrade, chegando a afastá-la da atração. A fala da apresentadora teria estremecido a relação de Silvio com Edir Macedo, dono da igreja Universal. Na última sexta-feira (27), Lívia não esteve presente nas gravações do programa. A assessoria da emissora confirmou o afastamento da apresentadora, porém, não deu detalhes sobre os motivos.

Ainda segundo o site UOL, fontes afirmam que Lívia teria sido afastada da atração por ordens expressas de Silvio Santos. O dono do SBT teria pedido para que Mara Maravilha interrompesse a licença-maternidade para retomar o comando do 'Fofocalizando'.

Afastamento por prazo indeterminado

A emissora não teria informado por quanto tempo Lívia ficaria afastada. A apresentadora resolveu se manifestar através das redes sociais e afirmou que teria sido "cancelada", - termo usado nas redes sociais referente às pessoas que são excluídas por algum motivo. Lívia Andrade ainda publicou um pequeno esclarecimento. A apresentadora afirmou que não iria inventar desculpas como doença, licença-maternidade ou qualquer outra mentira para justificar seu isolamento.

Lívia revelou que realmente teria sido afastada do programa, mas que não entraria em detalhes. Por fim, a apresentadora afirmou que torceria pelo programa e pediu para que internautas não atacassem a emissora de Silvio Santos.

De acordo com o site UOL, Lívia Andrade também se manifestou através das redes sociais, com o que teria sido uma suposta indireta diante do ocorrido.

Em uma sequência de vídeos, uma fogueira aparece ao som da música "Quem Vai Queimar", da cantora Pitty. Um trecho da música diz: "E queimem as bruxas / Deixa queimar / E queimem as bruxas / Quem vai queimar? / Quem ordena a execução / Não acende a fogueira / (Pai, rogai por nós)".

Entenda o caso

Tudo começou quando no último dia 19 de março, Lívia Andrade noticiou através do programa 'Fofocalizando', que pastores de igrejas evangélicas estaria vendendo "álcool em gel ungido", suposto produto que imunizaria as pessoas do novo coronavírus.

Após a exibição do programa, Renato Cardoso, apresentador da Record e bispo número um da Igreja Universal, exigiu que a apresentadora se retratasse e pedisse desculpas por ter propagado a fake news. Lívia afirmou que algumas igrejas estariam tentando ganhar dinheiro usando um momento tão delicado enfrentado pelo mundo. O bispo Renato Cardoso repreendeu a apresentadora e falou sobre a irresponsabilidade de divulgar uma informação sem chegar sua veracidade.

Siga a página Famosos
Seguir
Siga a página Televisão
Seguir
Siga a página Religião
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!