Ronaldinho Gaúcho concedeu sua primeira entrevista após ter sido detido no Paraguai por uso de passaporte falso. A entrevista do ex-jogador foi divulgada nesta segunda-feira (27), pelo jornal ABC Color, do Paraguai. Na entrevista, Ronaldinho contou um pouco como está sendo ver em prisão domiciliar desde o último dia 7 no hotel Palmaroga, em Assunção.

Atualmente, o ex-futebolista segue em prisão domiciliar ao lado se seu irmão, Roberto Assis. No entanto, antes disso, Gaúcho e Roberto permaneceram detidos por 32 dias na Agrupación Especializada. Agora, em entrevista, Ronaldinho fala sobre sua expectativa para resolver suas pendências com a Justiça.

“Tenho fé”, disse Gaúcho, ressaltando esperar que possam utilizar e confirmar a versão dada por ele sobre o caso, para que assim, possa siar desta situação “o mais breve possível”.

Quando puder retornar ao Brasil, Ronaldinho afirma que a primeira coisa que fará é dar um beijo em sua mãe que, segundo ele, vive dias difíceis desde que teve início à pandemia do novo coronavírus. Depois disso, o ex-jogador diz que tentará absorver o impacto de toda situação que passou no Paraguai e, por fim, afirma: “seguir em frente com fé e força”.

Eventos no Paraguai

Durante a entrevista, Ronaldinho Gaúcho afirmou ter viajado para Assunção, no Paraguai, devido a dois eventos que ele deveria comparecer mediante contrato. Um deles é o lançamento de um cassino online, outro o lançamento do livro “Craque da Vida”.

Gaúcho afirma que tudo que faz é em virtude dos contratos fechados por seu irmão, que também é seu representante no mundo dos negócios.

Surpresa

O ex-jogador, ainda em entrevista, disse ter sido pego de surpresa ao saber que “os documentos não eram legais”. “Totalmente surpreendidos”, disse o ex-futebolista, que ainda ressalta estar colaborando com a Justiça local.

Ronaldinho diz que até hoje eles continuam a explicar detalhes de todo o ocorrido para as autoridades, e ressalta ter facilitado tudo que foi solicitado judicialmente.

Gaúcho, que afirma nunca ter se imaginado passando por tal situação, confessa: “foi duro”. Além disso, Ronaldinho ainda diz que durante toda sua vida, buscou um alto nível profissional, para assim, levar alegria para a população com o seu futebol.

Futebol da prisão

Ainda em entrevista, o ex-jogador explicou que estava prevendo seu retorno para o Brasil no dia 6 de março, inclusive, já estava até com o voo marcado. No entanto, Ronaldinho diz não saber o que ocorreu após isso. O ex-jogador ainda respondeu questionamentos sobre o período que ficou detido no quartel transformado em cadeia, e relembrou ter jogado futebol, dado autógrafos e ter sido bem recebidos pelos colegas de detenção.

Diante disso, o ex-craque ressalta que não havia motivos para que ele não fizesse tais coisas, ainda mais, de acordo com Ronaldinho, com pessoas, que assim como ele, “estavam vivendo um momento difícil”.

Siga a página Famosos
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!