Uma das maiores características do SBT é o fato de que a emissora conta com plateia nos seus programas de auditório ao longo dos anos, que é algo de grande importância para o andamento dos quadros.

Em meio à pandemia do coronavírus, na qual não se pode ter aglomerações de pessoas para evitar o contágio da doença, a emissora arranjou uma forma para poder driblar este momento em seus programas de auditório.

A ideia terá a sua estreia no próximo final de semana, durante o programa “Domingo Legal”, e será uma plateia virtual, que permitiu agora com que a emissora de Silvio Santos voltasse a ter as gravações de seus programas, mesmo longe de seus indispensáveis "colegas de trabalho", que fazem parte das atrações da emissora.

A plateia virtual, que será adotada pela emissora nada mais é do que cem televisões de 32 polegadas, que serão dispostas em cadeiras nos estúdios dos programas, de forma vertical.

No caso do programa, que é apresentador por Celso Portiolli na emissora, serão usados 90 monitores para isso, que contará com a plateia do programa desta forma diferenciada adotada pela emissora.

No caso do “Domingo Legal”, metade dos espectadores estarão usando camisetas azuis e a outra metade amarela, da mesma forma como acontecia no programa antes que ocorressem as paralisações das gravações em março, em função da pandemia.

A novidade também será que o “Domingo Legal” agora será gravado nesta sexta-feira (15), e não será ao vivo, como era antes da pandemia. No entanto, a plateia virtual da emissora já está sendo usada desde segunda-feira (11) pela emissora, no “Programa do Ratinho”, que voltará a ter suas edições inéditas no SBT na próxima segunda-feira (18).

Aparentemente, o resultado do uso dos monitores, para não perder a plateia dos programas, agradou a todos na emissora.

Recrutas pela internet

Para realizar este feito com a plateia virtual, as produções do SBT recrutaram pessoas através da internet, de forma remota, para fazerem parte deste projeto da emissora. Para isso, foi solicitado de cada pessoa interessada em fazer parte do programa, o envio de três vídeos gravados com celulares.

Nestes vídeos, elas deveriam simular três situações diferentes.

Na primeira delas, deveria simular alguém vendo Televisão em casa, aplaudindo e dando risada. Todas as três ações deveriam ter de três a quatro minutos como foi solicitado pela emissora.

Eron Reigot, gerente de cenografia do SBT, explicou que as reações serão trocadas nos monitores dos telespectadores virtuais de acordo com a dinâmica do programa.

Ele ainda explica que a emissora faz uma TV em que o auditório é algo essencial para os programas, e que não queriam usar um auditório vazio ou até mesmo com manequins para ocupar o espaço antes ocupado pelas pessoas que iam até o estúdio para assistir aos programas.

O gerente de cenografia que com isso eles queriam devolver novamente a alegria de se ter um auditório, preenchendo o vazio que foi deixado devido à pandemia.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Televisão
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!