Nessa terça-feira (09), o jornalista Ricardo Feltrin comentou um pouco mais a respeito da audiência de plataformas de streaming no Brasil.

De acordo com as informações publicadas por ele em sua coluna do UOL, existe na internet uma lenda de que os usuários dos serviços desse segmento têm o hábito de passar as suas madrugadas em claro consumindo séries e filmes --ou "maratonando", na linguagem da internet.

Entretanto, segundo Feltrin, com base em dados exclusivos obtidos pela sua coluna, essa teoria parece ser mais uma das notícias falsas que circulam pelo país. O jornalista destacou que a madrugada costuma ser a faixa de horário em que as pessoas menos consomem o conteúdo da TV aberta, da TV paga e de serviços como a Netflix.

As afirmações do jornalista foram feitas com base em dados coletados pela Kantar Ibope Media durante o mês de maio. Segundo as medições de audiência da empresa, no horário que se estende da meia-noite às 6h, o consumo de conteúdo nas plataformas de streaming foi de 3,1 pontos na média nacional.

Segundo o que foi informado por Ricardo Feltrin, isso representa menos da metade do índice de audiência total conquistado por serviços desse tipo, que tiveram 6,9 pontos de audiência quando se considera o horário das 7h à meia-noite, chamado pelas emissoras de TV de “faixa comercial”.

É possível afirmar que cada ponto indicado nessa medição representa 250 mil domicílios sintonizados. Assim, também é possível destacar que em suas medições de audiência a Kantar Ibope Media costuma considerar 15 regiões metropolitanas presentes no Brasil.

TV paga ainda é líder de audiência na madrugada

Ainda com base dos dados citados, Ricardo Feltrin chegou afirmar que se as plataformas de streaming dominam a faixa de horário destacada, o mesmo não se aplica à madrugada, ocasião em que supostamente elas reinariam.

As emissoras de TV à cabo conseguem 3,6 pontos durante a madrugada enquanto as plataformas de streaming possuem 3,1 pontos.

Portanto, o horário em que os assinantes de serviços como a Netflix mais consomem o conteúdo é, na verdade, exatamente mesmo que o público da TV: entre as 18h e a 0h, período em que as plataformas desse segmento registraram audiência de 8,8 pontos.

Por fim, Ricardo Feltrin ainda pontuou que após o início da quarentena o consumo da TV aberta durante a madrugada parece ter crescido bastante.

De acordo com o jornalista, quando comparado ao do mês passado, é possível perceber um aumento de 50% de aparelhos ligados no Brasil durante o período da meia-noite às 6h. Em outros momentos, foi mencionado o aumento de audiência de vários programas da faixa nobre de horário.

Siga a página Televisão
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!