Nego do Borel estava sendo processado na Justiça por uma guia turística depois de ter dado um susto na Mulher. Hilda de Britto Champoudry processou o cantor em 2014, pois se sentiu constrangida com a brincadeira feita no aeroporto e por depois ter virado chacota na internet.

Hilda pedia na Justiça que Nego do Borel a indenizasse por danos morais no valor de R$ 95 mil, mas a guia turística acabou falecendo em decorrência de um câncer em outubro de 2019, ela estava com 62 anos. Com o falecimento da mulher, o processo contra Nego do Borel foi arquivado.

Brincadeira feita por Nego do Borel

No ano de 2014, Nego do Borel estava no aeroporto Santos Dumont, Rio de Janeiro, ele fez uma brincadeira com Hilda, mas sem a autorização dela.

A guia turística estava no aeroporto esperando parentes.

A advogada de Hilda de Brito contou no processo que ela estava aguardando seus parentes, quando foi abordada por Nego do Borel, que surgiu usando um agasalho com capuz, ele teria gritado como se fosse cair em cima da mulher, em seguida ele teria saído dando risada da situação. As imagens da brincadeira foram postadas nas redes sociais do cantor.

Ainda segundo a advogada Marli dos Santos Loureiro, que representava Hilda, a mulher teve uma aceleração cardíaca que só passou com o uso de calmantes. Nas audiências do processo, a guia turística disse que ao ver as imagens na internet se sentiu constrangida.

Nego do Borel ficou sabendo do falecimento de Hilda

Hilda de Brito faleceu em outubro de 2019, em novembro do mesmo ano ela tinha uma audiência marcada com Nego do Borel. Ao comparecer na presença do juiz, o cantor foi informado de que a mulher teria falecido e que os filhos dela não tinham interesse em seguir com tal processo.

Depois disso a ação foi julgada como extinta, mas só arquivada oficialmente semana passada.

Hilda faleceu sem receber a indenização de Nego do Borel

Em junho de 2019, a guia turística foi diagnosticada com um câncer no útero, quatro meses depois ela veio a óbito. Júlio Cesar, de 53 anos, irmão de Hilda, era o responsável por ela.

Ele contou que ficou ao lado da irmã do dia em que ela descobriu a doença até o dia em que faleceu. Júlio contou que largou tudo para cuidar de Hilda, pois as filhas dela moram nos Estados Unidos, por isso ele, além de irmão, também é o procurador legal dela.

Júlio Cesar ainda relatou que alguns meses antes de a guia turística descobrir o câncer ela parecia estar satisfeita com o andamento do processo contra Nego do Borel e que mesmo com a lentidão que ele caminhava, ela dizia que tudo estava se resolvendo.

Sobre o arquivamento do processo contra o cantor, o irmão de Hilda disse que não foi bem guiado pela advogada que cuidava do caso. Segundo ele, a advogada teria dito que não adiantaria nada ir à audiência e no dia da mesma teria telefonado para ele perguntando se ele iria.

Júlio contou que disse que não, pois ela mesma havia dito que não adiantava, por isso ele não compareceu. Já a advogada diz que relatou o processo para o irmão de Hilda, mas ele não quis saber.

Já a assessoria de Nego do Borel disse que não vai se pronunciar sobre o caso e que o cantor já havia se desculpado com Hilda pela brincadeira de mal gosto quando ela ainda estava viva.

O irmão da mulher, no entanto, diz que não se lembra de tal pedido de desculpas.

Siga a página Famosos
Seguir
Siga a página Fofocas
Seguir
Siga a página Mulher
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!