A Maternidade do Grupo Perinatal, localizada no Rio de Janeiro, foi condenada a pagar R$ 40 mil em indenização a um casal que realizou o parto do seu bebê na unidade hospitalar. As informações foram divulgadas em primeira mão pelo site Migalhas, especializado em notícias jurídicas. De acordo com a juíza, a maternidade errou ao negar ao casal o direito de registrar o parto do bebê com um fotógrafo profissional.

Vale recordar que Giovanna Ewbank e Bruno Gagliasso tiveram a autorização na entrada de um profissional de imagem, que fotografou o nascimento do pequeno Zyan, em julho deste ano. No entanto, segundo a juíza, a unidade hospitalar também errou ao privilegiar Bruno e Gio por serem um casal famoso.

Para tomar sua decisão, a juíza Livia Mitropoulo Esteves Dias afirmou que, nos documentos anexados no processo, não é possível comprovar a justificativa para o hospital ter tratado o casal famoso de forma diferenciada “em idêntica situação”. “Exclusivamente em razão da fama”.

Ewbank e Gagliasso são criticados

No dia 11 de julho, Gio Ewbank e Bruno Gagliasso começaram a ser duramente criticados nas redes sociais, isso depois que o casal usou o Instagram, no dia 10, para publicar fotos profissionais do nascimento do terceiro filho, Zyan.

Devido à pandemia, a presença desse tipo de profissional dentro da maternidade está temporariamente proibida, o que acabou gerando revolta a muitas mães que abriram mão deste direito ao passarem por um parto na mesma maternidade.

Fotos na maternidade

Na legenda das imagens do pequeno Zyan, Ewbank deu os créditos à fotografa Daniella Justus, especializada em maternidade. No entanto, após começar a ser criticada, a famosa decidiu excluir a marcação de sua publicação.

Momentos depois do post da loira, mães e gestantes usaram o perfil do Grupo Perinatal no Instagram para mostrarem suas insatisfações sobre o ocorrido.

Uma dessas mães afirmou, inclusive, ter ligado para a maternidade antes do seu parto e o mesmo informou que a presença do profissional de imagem ainda estava proibida. Por isso, ela qualifica o caso como “desrespeito”.

Maternidade divulgou nota

Na ocasião, a Perinatal se pronunciou sobre o assunto através de uma nota oficial, onde afirmou que, naquele momento, a política de não autorizar a presença de fotógrafos na sala de parto ainda estava mantida.

No entanto, o hospital confirmou a presença do profissional no momento do parto de Zyan, afirmando que o mesmo foi autorizado pelo gestor de uma das unidades da maternidade, isso depois de o mesmo ter testado negativo para Covid-19.

Mesmo assim, o hospital ressalta que a decisão tomada pelo profissional foi “em desacordo” com o protocolo da unidade. Diante disso, eles afirmam que o caso estava sendo devidamente apurado, para que assim fossem tomadas as devidas “medidas disciplinares”. O comunicado foi divulgado pela maternidade em seu perfil oficial no Instagram.

Siga a página Famosos
Seguir
Siga a página Mulher
Seguir
Siga a página Maternidade
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!