O modelo fitness Michel Santos foi encontrado morto no quarto de um hotel, localizado no bairro da Consolação, em São Paulo. O corpo do jovem de 27 anos foi encontrado na sexta-feira (9).

Segundo informações passadas pela Secretaria da Segurança Pública de São Paulo, alguns militares foram chamados pela equipe da gerência do hotel para atenderem uma ocorrência. Chegando ao local, os PMs encontraram muita bagunça e o corpo do modelo já em estado de decomposição, inchado e ainda com um forte cheiro.

Os agentes não conseguiram encontrar nenhuma testemunha que pudesse relatar o que causou a morte de Michel.

O local foi preservado até o fim da realização da perícia. No intuito de descobrir a causa da morte, foram solicitados exames toxicológico, necroscópico e datiloscópico.

O caso foi registrado no 4º Distrito Policial da Consolação e será investigado como morte suspeita.

No Instagram, onde compartilhava muitos cliques exibindo o corpo e mostrando suas tatuagens, o modelo era seguido por mais de 270 mil pessoas. Além disso, em julho de 2019, Michel também já posou para a capa da revista gay Mais JR.

Modelo é encontrada no Morro do Cantagalo

Na última quarta-feira (7), agentes da Operação Ipanema Presente encontraram a modelo alagoana Eloísa Pinto Fontes, de 26 anos, que estava desaparecida há meses.

Eloísa foi encontrada na comunidade do Cantagalo, em Ipanema, zona sul do Rio de Janeiro.

Segundo a Polícia, após ser encontrada, Fontes foi levada para a base do Ipanema Presente, onde recebeu apoio social. Em seguida, a modelo foi levada para o Instituto Municipal Philippe Pinel, localizado na Urca, onde foi submetida a uma consulta psiquiátrica e precisou permanecer internada para cuidar de sua saúde mental.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, a modelo segue em avaliação, no entanto, detalhes do estado de saúde da modelo seguem restritas aos familiares. Segundo agentes do programa Segurança Presente, Fontes estava correndo risco de vida na comunidade onde foi localizada.

Modelo estava em situação de rua

Francisco Assis, de 38 anos, amigo da modelo e que ajudou os policiais na ação, fez questão de agradecer o trabalho dos agentes ao resgatarem Eloísa. Na gravação, ele disse querer “agradecer a Polícia Militar do Rio” por salvar uma conhecida sua que se encontrava em “situação de rua” e ainda “correndo risco de morte”.

Assis contou que, juntos, conseguiram levar a modelo para o Pinel, onde ele avaliou o atendimento como 100%, afirmando que o órgão conta com funcionários “gentis que compreenderam a situação”. Por fim, ele também agradeceu todas às autoridades envolvidas no resgate de sua amiga.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!