O Brasil vivia uma boa fase econômica, chamada de "Milagre Econômico" por conta dos resultados do PAEG (Programa de Ação Econômica do Governo), implantado em 1964. Então a #Crise Mundial afetou o crescimento em cheio do país, já que a balança comercial foi muito prejudicada por conta dos novos preços impostos pela OPEP. O governo cria o PRÓ-ÁLCOOL,o programa tinha como objetivo substituir motores movidos a gasolina pelos movidos a álcool, diminuindo a dependência na importação do petróleo. O programa deu certo no início, principalmente na fase dos governos militares até os meados dos anos 80, onde a produção chegou ao ápice de 12 bilhões de litros em 1987, algumas pesquisas químicas evoluíram bastante em cima do álcool, com o preço do petróleo voltando a cair, os usineiros começaram a produzir açúcar no lugar de álcool, faltando em diversas partes do país, decretando o fim do programa.

Publicidade
Publicidade

Hoje apesar do pioneirismo do Brasil na pesquisa do álcool como combustível, os brasileiros não são beneficiados com seu uso, a produção de restringe aos produtores de cana, poderíamos explorar outras culturas como o milho, beterraba etc. Isso diminuiria consideravelmente a relação do preço do combustível com o preço internacional do açúcar.

Então em 1995, o governo então começa o estímulo ao uso do GNV, tanto nos automóveis quanto na indústria, é construída na Bolívia uma imensa refinaria e um gasoduto que corta metade do país. O GNV parecia ter vindo para ficar, com a posse do novo presidente da Bolívia, Evo Morales, as coisas começam a mudar. O presidente boliviano exige a renegociação do preço fixado por cm³ do gás, o governo brasileiro aceita os termos sem se opor (mesmo desrespeitando o contrato firmado antes), depois em 2006, o governo boliviano se apropria da refinaria da Petrobras, sem qualquer retaliação ou protesto do nosso governo, prejudicando novamente o consumidor brasileiro.

Publicidade

Hoje o governo da Bolívia além de controlar o preço do gás, consegue empréstimos junto ao BNDES. Temos que aguentar mais este absurdo, isso não levando em conta a cocaína oriunda da Bolívia que ajuda a matar nossos jovens. Todos esses acontecimentos mostram que a incompetência atravessa governos de partidos diferentes.

O Biodiesel, PNPB (Programa Nacional de Uso e Produção de Biodiesel), lançado em 2004, tinha como objetivo promover o desenvolvimento regional em áreas carentes por meio da inclusão da agricultura familiar, não deu certo, pela forma que foi implantado, o programa do biodiesel sai mais caro do que a produção do diesel comum, mesmo sendo produzidos de culturas como o dendê e mamona, produzidos no Norte e Nordeste do país. Hoje a produção do combustível é pequena e desorganizada, facilitando atravessadores no transporte.

Hoje o atual governo sequer toca no assunto, parece que a crise da Petrobras foi a "cereja do bolo" no tocante à incompetência governamental. Mostra que o Brasil está cada vez mais longe de ser um país sério.

Publicidade

Nossa justiça premia e incentiva a #Corrupção com a falta de punição dos réus culpados, não temos um governo que se preocupe com a nação brasileira, a única preocupação é com os partidos políticos e estes, de bolsos cheios, aos poucos vão destruindo este sofrido país. 

As informações do texto foram retiradas de jornais e revistas das épocas mencionadas, como oO Cruzeiro e Revista Manchete.