Depois de esfaquear a esposa, um homem foi espancado por populares em São Luís, no Maranhão.

Identificado como Juarez Antunes de Oliveira, o homem de 50 anos foi desarmado por alguns pedestres que passavam pelo local. Tudo foi filmado por um celular e o vídeo viralizou na internet.

A confusão aconteceu na última quarta-feira (15), em frente a um supermercado localizado no bairro Cidade Operária.

As imagens mostram o homem com um facão na mão. Ele teria acabado de cometer o #Crime e estava aparentemente em estado de choque. Quando virou de costas, um homem de camiseta vermelha se aproximou por trás e conseguiu tomar a arma do sujeito.

Publicidade
Publicidade

Outros populares apareceram para bater no indivíduo. De repente, um carrinho de supermercado é jogado em direção a ele. Os homens passam por cima do obstáculo e continuam a surrá-lo, com vários socos e chutes.

Nessa hora é possível ver que o braço e a camisa do cidadão estão bem sujos de sangue, provavelmente por conta do ferimento da mulher que ele esfaqueou. Pelas imagens é possível ver que mais de seis homens se juntam no espancamento.

Enquanto todo tipo de golpe é dado no sujeito, pessoas gritam para a violência parar, sem sucesso. “Não faz isso não”, grita um homem.

A essa altura a vítima já está no chão, tentando se defender como pode. Só então se houve “chega, chega”, e um rapaz entra na confusão para apartar, cercando o rapaz para que ele não apanhe mais.

“Ele tá bêbado”, grita outro homem.

Publicidade

Sentado no asfalto o agredido se mostra consciente, mas bastante zonzo.

De acordo com a imprensa local, a Polícia Militar foi chamada logo depois e evitou que o suspeito apanhasse até a morte dos populares enfurecidos. Os agentes o levaram para o plantão central da Cidade Operária e foi indiciado em flagrante por lesão corporal dolosa.

A mulher que foi esfaqueada não teve o nome divulgado. Ela foi atendida no local por socorristas e depois encaminhada para o Pronto Socorro mais próximo. Não há informações sobre a gravidade de seu estado de saúde.

Assista ao vídeo:

#Casos de polícia