A vida moderna trouxe entre seus inúmeros benefícios os malefícios da falta de tempo, acúmulos, ansiedades e doenças diversas. O retrocesso e o contato com a #Natureza são uma nova tendência que traz em si conceitos de maior e melhor expectativa de vida e não faltam projetos adaptados nas grandes cidades. Não é difícil ouvir falar sobre hortas comunitárias, jardins suspensos e agora, farmácias verdes ( que não é algo tão novo) que têm posto holofotes mais fortes para a medicina fitoterápica, levantando discussões entre os médicos alopatas.

Farmácia Verde em Minas Gerais

A “Farmácia Verde” de Minas Gerais atua desde 1995.

Publicidade
Publicidade

O viveiro municipal junto à Secretaria Municipal de Serviços e Meio Ambiente e a Secretaria da Saúde fabricam e distribuem remédios naturais recomendados por médicos que já atuam nesta vertente, proporcionando custo menor e melhor acesso da população à saúde. A vida moderna trouxe malefícios para a saúde física e mental das pessoas que em geral são tratadas com drogas sintéticas, que entre outras reações causam dependências. É justamente este o ponto que os adeptos da medicina natural querem mudar. A homeopatia é reconhecida no Brasil desde 1967 e em outros países da Europa e EUA.

Naturopatas e Medicina tradicional

Hipócrates, considerado o pai da Medicina, já dizia que o corpo, suas funções e reações são interligadas. A modernidade trouxe o avanço da medicina alopata baseada em pesquisas e compostos sintéticos que tratam a enfermidade de forma isolada, não veem o paciente e sim a doença.

Publicidade

Esta é uma das observações que fazem os Naturopatas, profissão incentivada pela OMS (Organização Mundial da Saúde) que trata pessoas através da medicina advinda de plantas. Um terapeuta pode ser um naturopata, não sendo necessária sua formação em Medicina. O que torna esta prática irregular é receitar ou invalidar uma receita médica.

A maior das barreiras encontrada para reconhecimento da medicina fitoterápica é o fato de não haver pesquisas que comprovem sua eficácia, por isso a grande e veemente recusa vinda dos médicos tradicionais (alopatas). Não é raro encontrar pessoas que tiveram melhor aceitação e até a cura em enfermidades em que a medicina tradicional não conseguiu resultados positivos ou mesmo diagnósticos.

Uma das bandeiras levantadas pelos naturopatas e adeptos da medicina natural é que nos tempos dos “curandeiros” existiam menos doenças e as que haviam eram sanadas com o que havia disponível na natureza. O conceito sobre qualidade de vida tem mudado, assim como organizações, entidades e profissionais também têm avaliado novos rumos em tratamentos médicos. Quando falamos em tratamentos, estudos e difusão sobre o assunto, Honduras aparece em primeiro lugar, seguido de El Salvador e Guatemala. #Blasting News Brasil #Alimentação Saudável