O filósofo Edgar Morin escreveu, em 2001, um livro com o título “Os sete saberes necessários à #Educação do futuro”, em resposta a um pedido da Unesco que solicitava dele um material sistematizado que pudesse orientar as reflexões sobre a educação no século XXI.

Ao escrever este livro o autor chamou a atenção para sete aspectos indispensáveis que devem inspirar os educadores no processo educativo de crianças e jovens. Pensando na educação de crianças, especificamente, é possível destacar algumas orientações que podem ajudar o professor que atua com esta faixa etária.

Os Sete saberes necessários à educação no futuro:

*As cegueiras do conhecimento: o erro e a ilusão – embora o conhecimento científico tenha por objetivo explicar racionalmente as coisas, a ponto de extinguir o erro e a ilusão, existem aspectos de outras ordens como os aspectos filosóficos, éticos e epistemológicos, que interferem na maneira de conhecer as coisas e o mundo.

Publicidade
Publicidade

Desta forma é importante cultivar nas crianças o espírito investigativo e questionador. As crianças precisam ser ensinadas a fazer perguntas e a refletirem sobre aquilo que lhes é apresentado.

* Os princípios do conhecimento pertinente - as crianças precisam aprender sobre o mundo ao seu redor de forma contextualizada, de modo a construir, processualmente, a relação entre o todo e as partes. O conhecimento pertinente tem a ver com a possibilidade de exercitar a curiosidade diante dos fatos e das coisas, considerando o mundo como um conjunto complexo e sistêmico.

* Ensinar a condição humana – toda pessoa deve aprender sobre sua condição humana biológica e cultural. Deve construir e aprender sobre sua individualidade, sem perder de vista a questão da diversidade. Entre os seres humanos há semelhanças, mas também infinitas diferenças.

Publicidade

Compreender e respeitar o que une e diferencia as pessoas é fundamental para a vida em sociedade.

* Ensinar a identidade terrena – aprender sobre a natureza terrena é importante para as crianças na medida em que elas possam começar a construir conhecimentos sobre temas como: consciência ecológica, sustentabilidade, consumismo, solidariedade e qualidade de vida.

* Enfrentar as incertezas – o movimento da vida exige adequação, improviso, estratégias de solução diante de situações desafiadoras e inesperadas. Aprender a lidar com o desconhecido faz-se necessário no mundo em que se vive. Cultivar a coragem, a autonomia, a perseverança e o equilíbrio são importantes para lidar com o destino incerto.

* Ensinar a compreensão – a convivência entre as pessoas necessita de compreensão, sendo esta entendida como a capacidade de se relacionar com abertura, empatia e generosidade. Respeitado o nível de maturidade de cada #criança, é imprescindível que, na sua prática, o #professor oportunize situações que ajudem na construção deste comportamento e na eliminação de práticas discriminatórias, preconceituosas e violentas.

Publicidade

* A ética do gênero humano – as crianças devem aprender desde cedo, a partir de experiências enriquecedoras, a perceber-se como parte de um grupo (pessoa) e de uma comunidade (família, escola, bairro, por exemplo). É preciso cultivar esta percepção de coletividade e de respeito consigo mesmo e com os outros.