Primeiramente uma coisa deve ser esclarecida: estudar é diferente de assistir aula.

Muitas pessoas confundem a sala de aula como sinônimo de estudar no seu mais amplo conceito. Uma coisa não tem nada a ver com outra. Estudar requer um ato solitário onde a pessoa é a agente principal, ou seja, ela lê, escreve, exercita; ela movimenta seu aprendizado. Assistir aula, por sua vez, é um ato em grupo; coletivo, onde o indivíduo é receptor passivo e não o agente principal; assistir aula é receber informações passivamente.

Por mais que as duas coisas sejam distintas, entretanto, ambas se complementam, pois a finalidade de assistir aula é facilitar os estudos para si e as dúvidas dos estudos solitários é a de levá-las para serem esclarecidas na aula.

Publicidade
Publicidade

As funções psíquicas que iremos desenvolver ao longo deste artigo - atenção e #Memória - são fundamentais e imprescindíveis para um melhor desempenho nos estudos. O segredo está em saber "usá-las" de maneira eficiente.

Devemos destacar, que desenvolver a atenção e a memória só é possível, a priori, quando estamos estudando e não quando estamos assistindo aulas.

Funções psíquicas

Podemos definir o psiquismo humano como a representação mental no cérebro, subjetiva, da realidade objetiva. Por outra maneira, o mundo que vemos e conhecemos, é uma representação mental, porém de uma realidade concreta, realista, que existe de fato.

E os componentes que formam o psiquismo chamamos de funções psíquicas, entre elas: sensação, percepção, atenção, memória, linguagem, sentimento etc. Iremos trabalhar, neste artigo, a atenção e a memória, especificamente no desenvolvimento de ambas com vistas a um melhor desempenho nos estudos.

Publicidade

Devemos ressaltar, ademais, que as funções psíquicas só se desenvolvem por meio de atividades que as requeiram, por outro modo, só se desenvolvem com o uso. Por isto, só podemos desenvolvê-las estudando, e não assistindo aulas. É aqui onde mora a sutileza da eficácia e o erro de muitas pessoas ao estudarem.

Para desenvolvermos a atenção e a memória com o objetivo de melhorarmos o aprendizado, teremos como base e foco central a escrita à mão, pois é na ação concreta que armazenaremos na memória aquilo que recebemos como informação anterior.

Entender vs Aprender

Há uma diferença entre entender e #aprender. Entender é quando recebemos alguma informação e por conseguinte compreendemos a linha de raciocínio daquele assunto ou daquele objeto, todavia, se não trabalharmos para que esta compreensão crave na memória de longo prazo, esqueceremos imediatamente o conteúdo.

O aprender, ao contrário, é quando colocamos em prática o que entendemos e trabalhamos para este aprendizado se fixar na memória de longo prazo.

Publicidade

A chave da diferença entre os dois, é que quando entendemos, a memória de curto prazo é quem está trabalhando. Quando aprendemos, a memória de longo prazo armazena dada informação. E é a memória de longo prazo que deve ser nosso foco primordial.

Atenção e Memória

A atenção, nada mais é, que a eleição de estímulos e objetos separados, e sempre terá como finalidade algum motivo específico. Além disso, a atenção através do desenvolvimento histórico e cultural, passa a ser voluntária e dirigível, em outras palavras, passa a ser "intencional e controlável" por nós. Uma das características da atenção é a relação entre a figura e o fundo, destacando o objeto primário e abstraindo todo o resto.

Mas para desenvolvermos a atenção, como já referido anteriormente, será necessário praticarmos e treinarmos tal função psíquica. E é através do #estudo que iremos trabalhá-la, ou mais claramente, na escrita à mão.

A escrita à mão significa fazer um resumo daquilo que foi assistido e entendido anteriormente. O processo de aprendizado e fixação do conteúdo acontece quando resumimos o que foi entendido através da escrita. Deste modo, a memória entra em cena.

Quando escrevemos, não é só a atenção e a memória que está sendo trabalhada, mas todas as funções psicológicas: percepção, linguagem, pensamento, sensação sentimento etc. É importante destacar que ao resumir o conteúdo, deve-se ser resumido sem intermédio de cópias ou revisão de algum tipo. Somente assim o conteúdo será fixado na memória de longo prazo, pois estaremos colocando no papel aquilo que lembramos verdadeiramente.

A memória que tem a função de armazenar e recuperar conteúdos, será estimulada no processo da escrita. Queremos, acima de tudo, que o que estudamos se armazene na memória de longo prazo. Somente assim aprenderemos ao invés de decorarmos.

Esta é a dica fundamental para termos eficácia e simplicidade no aprendizado por meio do estudo: elaborar um resumo, à mão, daquilo que foi entendido e assistido por meio de informações, anteriormente dado.