O site especializada em política internacional Americas Quarterly citou o nome do deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) como candidato à Presidência da República em 2018. De acordo com ele, algumas das atitudes de Bolsonaro são parecidas com a do atual presidente dos Estados Unidos, #Donald Trump.

O site fez uma reportagem sobre o efeito Trump na América Latina, onde cita até mesmo o presidente da Venezuela, Nicolas Maduro, por ter defendido o novo presidente norte-americano ao dizer que ele foi vítima de uma "campanha de ódio brutal" pela mídia. "Ele não será pior do que Obama" acrescentou Maduro.

O Americas Quarterly diz também que até mesmo o presidente da Bolívia, Evo Morales, demonstrou esperança ao dizer que seu país poderia restabelecer relações diplomáticas com os Estados Unidos através da troca de embaixadores, o que ocorre desde 2008.

Publicidade
Publicidade

O site explica que o deputado federal #Jair Bolsonaro tem afinidade com o presidente dos Estados Unidos por seus valores em comum. Além disso, o site informa que Jair Bolsonaro aparece em quarto lugar nas pesquisas presidenciais de 2018.

A reportagem se prolonga e em alguns trechos mais coisas são ditas sobre o deputado Bolsonaro. Ela diz: “... Bolsonaro postou um vídeo felicitando Trump em sua posse. Ele esperava viajar para Washington para participar, mas disse em uma entrevista que foi ao ar no dia seguinte que não era possível...”. “... Como Trump, Bolsonaro manifestou publicamente o seu apoio para a tortura e culpou a mídia por distorcer suas opiniões...”, acrescentou.

Segundo a reportagem, a agressividade de Trump agrada tanto a extrema direita, fazendo alusão ao deputado Jair Bolsonaro, quanto aos ultraesquerdistas, como o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro.

Publicidade

Por ser citado de maneira internacional, o deputado Jair Bolsonaro, parece ser um forte candidato para ocupar o lugar de presidente da república nas eleições de 2018 no Brasil. pesquisas de intenção de voto como Datafolha já coloca Bolsonaro entre os primeiros candidatos, com 9% das intenções de voto. #Eleições