Um ciclone extratropical atingiu a região sul do Brasil nesta terça-feira (30). O fenômeno também é conhecido como "ciclone bomba".

O ciclone que atingiu o sul do país na madrugada desta quarta-feira (1) causando grandes estragos em Santa Catarina e Rio Grande do Sul, promete mudar o clima da região de maneira brusca. Chuvas intensas, ventos que chegam à 100 km por hora, frio intenso e neve e geada devem fazer parte do sul nos próximos dias.

O fenômeno acontece também na região sudeste, porém com menos intensidade.

Regiões mais Afetadas

No estado de Santa Catarina, cidades litorâneas como Florianópolis e Balneário Camboriu, foram fortemente afetadas pelo "ciclone bomba", que deixou um rastro de destruição.

O prefeito de Florianópolis Gean Loureiro fez um apelo à população para que não saiam de casa e permaneçam em lugares seguros, distantes de vidros e materiais que possam ser destruídos ou arrastados pelos fortes ventos.

No Rio Grande do Sul, 16 cidades foram atingidas, deixando mais de mil pessoas desabrigadas. Vacaria e Ibiaçá foram as mais afetadas.

Em Santa Catarina, 750 mil pessoas ficaram sem energia elétrica, e no Rio Grande o número chegou à 639 mil.

Mesmo com o trabalho intenso das instituições Celesc (SC) e Rio Grande Energia (RS), a situação ainda não foi normalizada.

Mortes

Chegou a 10 o número de mortes confirmadas. No estado de Santa Catarina, três mortes foram registradas na cidade de Tijucas.

As cidades de Rio Dos Cedros, Chapecó, Ilhota, Governador Celso Ramos, Itaiópolis e Santo Amaro do Imperatriz registraram uma morte em cada.

A causa da morte foi informada em apenas três casos. Uma idosa de 78 anos morreu devido à queda de uma árvore. Em Santo Amaro do Imperatriz um homem morreu eletrocutado, e em Tijucas um morador teria sido atingido por algo não especificado.

Os outros óbitos ainda não foram detalhados.

O Rio Grande do Sul registrou uma morte, onde a vítima, um senhor de 53 anos, foi soterrado em um deslizamento de terra. Uma perícia está sendo realizada para confirmar se o deslizamento ocorreu por causa do ciclone.

Além das empresas de energia elétrica, um grande número de bombeiros trabalha em Santa Catarina, principalmente em quedas de placas e árvores.

As ocorrências ultrapassaram a marca de 1600, já nesta manhã.

Previsão do tempo

De acordo com a MetSul Meteorologia, os ventos fortes que atingiram as regiões continuam no dia de hoje. A ventania pode chegar à 130 km por hora, atingindo mais cidades de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul.

O ciclone deve amenizar no fim da tarde. As orientações de segurança e alerta continuam ativas, pois os riscos de desabamentos, queda de árvores e destelhamentos ainda continua.

Siga a página Natureza
Seguir
Siga a página Opinião
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!