Dezembro de 2015 foi o mês que recebeu um dos maiores escândalos de traição do ano no Brasil. Carlos Eduardo foi o marido duplamente traído, pelo seu melhor amigo e concunhado "Léo Esmerick” e também pela sua esposa, Fabíola, a bancária do banco Santander, e que tem duas filhas com o marido.

O mesmo Carlos, depois de ver o “Gordinho Gostoso” sendo perdoado pela esposa e decidido viajar para as praias de Miami na Florida (EUA), decidiu também perdoar a esposa Fabíola e passar o Natal junto da própria mulher e das duas filhas, de acordo com os portais “Diario Digital” e o “Ptn News”.

O encerramento do episódio da traição de fim de ano que deu fama ao Léo, que ficou conhecido como o “Gordinho Ricardão” e à bancária do banco Santander, Fabíola, “ela que foi fazer a unha”, acabou de maneira que muitos dos internautas que acompanharam o início, meio e fim dessa história, não esperavam; com os envolvidos todos perdoados, famosos e curtindo as férias de fim de ano com os seus cônjuges. Parece algum tipo de novela, mas é a pura realidade.

Vida Real X Reality Show

De acordo com o blog “O Trovante”, com relação ao caso Fabíola e o Gordinho Gostoso, a vida do outro virou o espetáculo de todos.

Estaria a vida particular das pessoas imitando a ficção, ou a ficção é que estaria imitando a vida real? Amigo traindo amigo, esposa traindo marido, e no final de tudo, todos sendo perdoados, principalmente, todos indo curtir suas vidas como se nada estivesse acontecido, ou até mesmo, indo comemorar o sucesso da “trama”. Dessa vez, o caso da vida real imitou alguns casos de reality show das TVs abertas brasileiras.

O fim desse caso de traição deixa algumas figuras claras. Léo, “O Gordinho Ricardão”, sai como o ‘macho’, o símbolo da heterossexualidade, que estava com a esposa e ao mesmo tempo com a amante.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Curiosidades WhatsApp

Fabíola deixou um jargão, que muitos nas redes sociais até brincam bastante, com relação às manicures, mas na realidade, a unha da bancária se tornou famosa e símbolo de enganação e traição.

E por fim, Carlos Eduardo e a esposa do Léo, foram os que saíram ‘enganados’ e ‘traídos’. Afinal, tanto em ficção quanto na vida real, alguns saem como vencedores e outros como derrotados. Mas, perdoar seria uma derrota, nesse caso? Ou uma superação? Isso quem sabe dizer é o povo, os telespectadores, que acompanharam todo o caso e agora farão cada um seu julgamento.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo